31.5.10

José Sócrates tem 12 motoristas novos

Dose motoristas e um técnico para apoio administrativo foram requisitados ou designados para o gabinete do Primeiro Ministro, por despachos datados do passado dia 18 de Maio.
Parece uma brincadeira mas não é.
Estas aquisições começam com o despacho n.º 8346/2010, publicado no Diário da República n.º 96, Série II (de 2010-05-18) e terminam com o nº 8358. E ainda há quem diga que estamos em crise, que o recrutamento de profissionais para o Estado está congelado, que os salários não podem crescer e que o tempo é de contenção na despesa pública.
Estas são medidas que concretizam a crise. Provavelmente o gabinete de José Sócrates precisava ainda de mais meia dúzia de motoristas, mas manda a contenção requisitar apenas 12.
Estes despachos representam uma gota de água no oceano, mas espelham imoralidade, despesismo estúpido, porventura impunidade porque se sabe que nenhum governante será chamado a prestar contas em caso do país se afundar irremediavelmente.

Still The Same

A minha participação no blogue.


Como abaixo anunciei sou candidato à Presidência da Concelhia do CDS-PP de Odivelas, contudo, daqui para a frente continuarei a escrever neste blogue da forma como sempre o fiz, ou seja, em nome pessoal.

É evidente que sou o mesmo e em qualquer situação a pessoa não se desassocia das funções que exerce, o que quero dizer, é que as opiniões que eu aqui possa vir a escrever não vinculam o CDS e vice-versa.

Este continuará ser um local livre de partilha de opinião.

A vida é cheia de desafios, este é mais um.


Quando passeio a pé no meio de uma serra onde as referências são poucas ou quando viajo de carro por estradas que não conheço bem, pese embora o facto de saber onde quero chegar e qual objectivo que pretendo atingir, o certo, é que há momentos em que nos aprecem cruzamentos que nos fazem reflectir, mas que indiscutivelmente nos obrigam a tomar uma decisão.

Foi com uma circunstância dessas que fui confrontado há cerca de duas semanas. Podia ter recuado ou ter atirado uma moeda ao ar, podia ter declinado a responsabilidade e ter feito outro tomar uma decisão igual, mas resolvi ouvir a opinião de todos os que no momento estavam no local e tal como aqui escrevi, seguindo duas regras que me têm acompanhado ao longo dos anos, decidi e avancei.

Nestas duas semanas amadureci ideias, elaborei um programa, consultei algumas pessoas, compus uma lista e candidatei-me à Presidência da Concelhia do CDS-PP de Odivelas.

As ideias claras, onde ressaltam a defesa de valores; as traves mestras que definem a politica que deveremos defender para o concelho; a nova organização que se pretende implementar na concelhia e a qualidade da equipa que consegui constituir, estiveram certamente na base para que não tivesse aparecido mais nenhuma lista a concorrer a esta eleição.

Para terminar, quero só acrescentar dois pontos:

1º - Parto para este desafio fortemente motivado, nele irei dar o máximo que posso e que sei, pois estou certo que só assim poderei contribuir para a melhoria da qualidade de vida em Odivelas e para a valorização da minha terra.

2º - Estou certo que este desafio não é fácil e dada a situação do Concelho de Odivelas, todos somos poucos para ajudar a inverter a tendência, “só uma andorinha não faz a Primavera” e por isso conto com todos, não só os que fazem parte da minha equipa, mas também, com todos aqueles que de alguma forma queiram colaborar.

Buracos nas contas - é por estas e por outras

Um dos temas que estão a ser analisados na Comissão das Actividades Económicas, na Assembleia Municipal de Odivelas, é precisamente as contas da Municipália. Esta empresa municipal teve em 2009 um subsidio municipal superior a 1.000.000,00 de Euros e no fim do ano, ainda precisou de mais de 200.000,00 para tapar o prejuízo.
Por ventura, é por estas (Vaidades de Presidente) e por outras que aparecem buracos por todos os lados.

30.5.10

Será verdade?


"Apoio Manuel Alegre de forma convicta, em nome de uma visão progressista para o país. Acho que Manuel Alegre é um homem de cultura, um homem de espírito, que conhece a cultura e a História portuguesa. Entendo que estamos perante uma candidatura que honra o país e à qual o PS adere"

Fogo na Hipodec

Esta tarde, em Sacavém, deflagrou um incêndio de proporções elevadas em dois armazéns da Hipodec, com materiais para reciclar, um deles contendo fundamentalmente produtos plásticos.
No combate ao sinistro estiveram 14 corporações de bombeiros. A esta hora o incêndio está controlado e é provavel que as operações se prolonguem por mais duas ou três horas.
A coluna de fumo, relativamente espessa e negra, chegou a ver-se de alguns pontos da cidade de Lisboa e de Odivelas.

José Maria Pignatelli

Um Gesto

Um gesto tão simples e que tanto ajuda!




Se todos contribuirem com um único bem, contribuirá para um sorriso repleto de agradecimento...
Aos que contribuiram, BEM HAJAM... aos que deixaram para a próxima, existem vales de 0,38€ ou 1,80€, nas caixas de qualquer supermercado, até ao dia 6 de Junho, que reverterá em géneros alimentícios e, é tão simples.

Outra vez o estigma dos Rating’s??




Eu ainda fico estupefacta com as barbaridades que acontecem neste Concelho no País e no Mundo, senão comecemos hoje por este último:

A Amnistia Internacional no seu relatório de 2010 sobre a situação dos Direitos Humanos no mundo, relativamente a Portugal, refere que as investigações sobre denúncias de torturas cometidas por polícias prosseguiram de modo lento em Portugal no ano passado, com evidências de impunidade.
Na abordagem da situação nacional, relativamente a tortura e outros maus tratos, a AI refere também o caso de Leonor Cipriano (mãe de Joana, menina desaparecida no Algarve em 2004). No relatório lê-se que em 2009 prosseguiram as investigações criminais sobre estas denúncias contra agentes policiais e recorda-se que o Tribunal Penal de Faro pronunciou a sentença do caso de Leonor Cipriano, reconhecendo que havia sido torturada sob custódia policial em 2004. Os polícias em questão foram levados a julgamento e absolvidos pelo Tribunal de Faro.

Assim, para além de não ter nexo esta acusação, não se compreende como a AI chega a conclusões desta natureza! Se vislumbra nesta situação alguma espécie de impunidade, então sugere igualmente que os Tribunais portugueses não são isentos e isso até é bem mais grave…
Note-se que neste a caso a Leonor Cipriano cumpre pena por sido acusada de assassinar a própria filha…

Então e a mesma AI não se pronuncia nem actua quanto aos suicídios, ocorridos na Foxconn, no sul da China, que é só o maior produtor mundial de componentes electrónicos responsável pela elaboração do novo IPhone ?????

Até à data, ocorreram 10 suicídios dos 12 tentados, todos jovens trabalhadores entre os 17 e os 24 anos a trabalhar 6 dias por semana 12 horas por dia a ganhar €100 por mês!!!! Estas pessoas encontram-se a trabalhar em condições sobre-humanas, existindo até denuncias que a empresa estava ainda a forçar os funcionários cerca de 400 mil a assinar documentos em que prometiam que não se iriam suicidar para as famílias não terem direito a qualquer compensação caso o fizessem.
O presidente grupo Hon Hai Precision de Taiwan, que detém a Foxconn, já pediu desculpas pela forma como o documento estava redigido e disse que o mesmo não será mais usado.

Claro que também aqui a China é a China e Portugal é Portugal… Então, assim sendo, também posso concluir neste caso, que esta avaliação da AI tem por base alguns índices publicados em Agências de Rating! Ou não?

29.5.10

Odivelas - Segunda-feira darei notícias.


Este fim-de-semana estarei um pouco ocupado, mas segunda-feira, sem falta, darei notícias.

Bagão Félix sondado para alternativa a Cavaco.

Debate sobre a Credibilização da Política e dos Políticos.


O M.O.C. vai organizar um debate cujo o tema é o título deste post. Para este debate já estão confirmadas as presença de dois oradores de excelência, Paulo Aido e Henrique Neto.

Será no Pavilhão Polivalente de Odivelas, dia 8 de Junho, às 21.30 e eu, por ter defendido na Assembleia Municipal que este deveria ser o Ano Municipal da Consciêncialização Ética e Económica da Classe Politica, estou com grande expectativa, não só para ouvir as intervenções, como para ver que estará na assistência.

28.5.10

Odivelas - A.M. de Ontem.


Iniciou-se ontem à noite a 2ª Sessão Extraordinária de 2010, da A.M. de Odivelas.
Nesta primeira reunião ficámos pelo P.A.O.D., onde os temas dominantes foram sem dúvida a subida de impostos e questões relacionadas com o Parque de Estacionamento Egas Moniz. Sobre este pontos fiz uma breve intervenção, a qual posteriormente aqui resumirei.

Interessa contudo, a propósito do Parque de Estacionamento Egas Moniz, deixar aqui nota da intervenção proferida pelo Dr. Mário Máximo, ontem Presidente em Exercício. Disse na sua intervenção, que as tarifas diárias irão ser revistas, mas as avenças não sofrerão alterações.

27.5.10

Odivelas - Hoje 20.30h há A.M..

A Ordem de Trabalhos é esta.

"Madrid - Poceirão..."

Finalmente "uma boa notícia".


Barão das Neves, no seu blogue Tu-Barão, quis desanuviar o ambiente, ao dar no seu pots, "Mais buracos ( e não estamos a falar de jogar golfe..........)", a informação que dois experts em economia e finanças, ambos ex-ministros das finanças, chegaram à conclusão que só em 2014, daqui a 4 anos, é que vamos ter mais três Buracos.

Obrigado Barão! Fiquei animado.

Informalidades - Novo Formato.


A tertúlia "Informalidades" que está prestes a completar o seu terceiro aniversário sofreu algumas alterações.

Vai passar a ser semanal, vai passar a ser à quarta-feira (22.00-24.00h) e por isso, em vez das tres horas de duração, vai passar a ter duas horas.

O local será o mesmo, Cetro de Exposições de Odivelas e a transmissão passará ser no NO tv.

26.5.10

Hoje às 22h INFORMALIDADES

O Informalidades volta ao Centro de Exposições de Odivelas, agora às 4ª feiras

Bento XVI - Ainda a importancia da sua viagem a Portugal.


No passado dia 16, sobre a importancia da viagem de Bento XVI a Portugal, no post "Bento XVI – Saiu de Portugal com alma lusa", escrevi, "o pontificado de Bento XVI ficará profundamente marcado por esta visita e mais tarde, esta viagem será considerada um dos pontos mais importantes da história deste papado."; ontem tive acesso a um texto, o qual faz referencia a alguns peritos mundias que nesta matéria fazem uma leitura idêntica.




Revolução de Mourinho

José Mourinho chorou abraçado a Marco Materazzi depois da festa em Madrid. O treinador português acabou por sair do carro e voltar a trás para abraçar o jogador italiano que se mostrava inconformado com a saída do treinador – foi um momento singular entre profissionais habituados a triunfar.

O treinador português conduziu o Internacional de Milão a um ano de ouro – o segundo título de campeão, a Taça de Itália e a Liga dos Campeões Europeus, este último conquista que o clube não conseguia à 45 anos.
Dois golos em momentos cruciais, concentração absoluta, atitude positiva, rigor na interpretação do jogo, disciplina táctica e uma fífia da defesa foram o resumo do desempenho do Inter na final de Madrid.
O treinador português consegue o seu 17º título em dez anos de carreira e o quarto nestas duas últimas temporadas em que esteve no clube italiano. E consegui estes resultados num palco adverso, onde era o único estrangeiro no seio de uma legião italiana, depois de aceitar vender o galáctico sueco Zlatan Ibrahimovic, ao Barcelona, de afastar o brasileiro Adriano e o português Quaresma, de trazer à ribalta o talento ofuscado do holandês Wesley Sneijder, Diego Milito, Maicon e o dispensado do Barcelona, Samuel Eto’o.

Estes dois anos de sucesso foi também conseguido muito à custa da experiência (principalmente humana) de dois pilares fundamentais no grupo de trabalho, o argentino Javier Zanetti e o italiano Materazzi, ambos a completarem 37 anos no próximo mês de Agosto.
A estes jogadores Mourinho manteve a confiança no capitão Javier Zanetti que conquistou a Taça da Liga dos Campeões, precisamente no seu jogo 700 ao serviço do Inter. Aliás, o jogador argentino confidenciou que os títulos destes dois anos se devem fundamentalmente ao técnico português, pelos seus métodos, inovação nas relações pessoais e sobretudo na revolução de mentalidades que trouxe ao clube, fazendo do Inter um conjunto verdadeiramente ganhador. Zanetti adiantou ainda que «é compreensível que José Mourinho deixe Itália, porque foi sempre incompreendido e teve sempre muitas adversidades».

Uma marca,
uma referência entre líderes de opinião,
um negociador de crenças

O português ganhou em Portugal, no Reino Unido, agora em Itália… e é natural que o pretenda fazer no competitivo futebol espanhol, onde começou. Por conta de Mourinho, o Inter embolsou dezenas de milhões de euros e vai, pelo menos, receber mais 16 milhões que é o valor da rescisão do treinador português que o Real Madrid terá de pagar ao clube italiano.

Aceitar o convite dos espanhóis não será certamente uma opção espontânea em virtude da estrutura directiva e do grupo de trabalho serem muito complexos de gerir. E não é uma questão de momento. É assim há alguns anos. Estrelas a mais e que se habituaram a trabalhar pouco no campo e muito mais nos estúdios de fotografia.
José Mourinho é a antítese destes circunstancialismos.
Detesta a derrota e não acredita em individualidades no futebol que é um jogo colectivo.
Por outro lado, Mourinho já é marca.
É uma referência entre os líderes de opinião.
A sua presença, o seu carácter, mesmo alguma arrogância no pragmatismo com que fala são marcas muito positivas porque geram resultados e sucesso persistente. E os investidores é isto que querem e pagam o que for preciso.

Portanto o treinador português contratará, em absoluto, com o Real Madrid carta branca para fazer o que bem entender. Foi assim no Chelsea – logo à entrada dispensou Ivan Crespo, o jogador mais caro do planeta à data. Não se preocupou com os inimigos que resultaram da decisão. Fez uma equipa à sua imagem e ganhou quase tudo. Aliás, Mourinho é ainda hoje idolatrado pelos adeptos britânicos. Inglaterra rendeu-se e hoje todos lhe tecem elogios.

Mas Mourinho ainda negoceia e negociará sempre, enquanto estiver num qualquer clube, as condições de trabalho e não somente dinheiro. Ajustará contratações mais humildes de atletas com talento, mas que pode moldar e transformar em jogadores à sua imagem e de eleição. O que se anuncia sobre o Real Madrid pretender Di Maria, Fábio Coentrão e David Luís, todos do Benfica, é muito natural que seja verdade e já opções do treinador português. Di Maria compreende-se porque Mourinho quererá ter uma opção a Cristiano Ronaldo, jovem ainda em tempo de aprendizagem e capaz de evoluir, além dos que já tem no plantel madrileno. Há mesmo quem alimente a ideia que o técnico português poderá ter equacionado a venda de Ronaldo à direcção do clube. Aliás, neste lote poderá ter também incluído o avançado brasileiro Kakà.
Outra das questões que não deverá ter agradado a José Mourinho é o facto de Pepe estar a recuperar à força de uma lesão grave no estágio da selecção portuguesa, com o intuito de jogar no “Mundial” da África do Sul. Para o técnico, Pepe talvez pudesse estar a recuperar com mais tranquilidade com o objectivo de um desempenho elevado na próxima época futebolística.

Mas amanhã começam os vaticínios sobre o que fará José Mourinho a seguir, caso tenha êxito em Madrid (?)
Mourinho é um negociador de crenças!

José Maria Pignatelli

25.5.10

Que sociedade é esta?

Depois do aumento generalizado dos impostos, onde quase todos levaram "pela mesma medida", mesmo aqueles que trabalhando são pobres, aí vem mais um ataque, sobretudo dirigido a estas mesmas pessoas. Agora é a subida do preço dos transportes.

Quando as "máscaras" caiem, vêem-se os Homens.

Contra-Mão por Joaquim Letria.

Embora já com alguns dias, só hoje li o artigo assinado por Joaquim Latria e Publicado no 24 Horas, no passado dia 4/5/2010. Passo a transcreve-lo.

"SÓCRATES parece aqueles velhinhos que se metem pelas auto estradas em contra-mão, com o Teixeira dos Santos no lugar do morto, a gritarem que os outros é que vêm ao contrário.

De rabo entre as pernas, fartinhos de saberem que estavam errados, não conseguem agora disfarçar o mal que nos fizeram. Ainda estão a despedirem-se, agradecidos, do Constâncio, e já deram a mão a Passos Coelho, que lhes jura que conhece uma saída perto e sem portagem.

Estamos bem entregues! Vão-nos servindo a sopa do Sidónio, à custa dos milhões que ainda recebem da Europa, andam pelo mundo fora sem vergonha, de mão estendida, a mendigar e a rapar tachos, tratados pelos credores como caloteiros perigosos e mentirosos de má-fé.

Quando Guterres chegou ao Governo, a dívida pouco passava dos 10% do PIB. 15 anos de Guterres, Barroso, Sócrates e de muitos negócios duvidosos puseram-nos a dever 120% do PIB.

Esta tropa fandanga deu com os burrinhos na água, não serve para nada e o estado do próprio regime se encarrega de o demonstrar. Falharam todas as apostas essenciais. Todos os dias se mostram incapazes. Mas com o Guterres nos refugiados, o Sampaio nos tuberculosos e na Fundação Figo, o Constâncio no Banco Central e o Barroso em Bruxelas, a gente foge para onde?
"

Será que António Costa (C.M.L.) passou por cá?


Ao ver este texto, publicado hoje no 31 da Armada, perguntei a mim próprio:
- Será que António Costa, Presidente da C. M. de Lisboa, esteve em Odivelas a receber alguma formação na área de imagem e comunicação?

24.5.10

Facebook facilitará uso de controles de privacidade, diz fundador

Concurso Miss Odivelas está a chegar!


Odivelas - Dia 27 há A. Municipal.


Esta semana começa mais uma A. Municipal, o inicio está marcado para dia 27 às 20.30 e prelongamento, para dia 2 às 14.30h.

A ordem de trabalhos é a seguinte:

P.A.O.D.
1 – Macroestrutura
2 – Receitas Municipais (Alteração de taxas)
3 – Nomeações do Centro de Saúde
4 – Proposta de Alteração ao Regulamento do Espaço Publico Urbano,
5 – Alteração da delegação de competências – Aquisição de viaturas – Sistema de aluguer operacional de sistema
6 – C.N. de Segurança.

23.5.10

Odivelas - O Voltas e a compensação rodoviária.


Segundo consta no Jornal de Noticias, "desde que o projecto do Voltas foi criado, a autarquia compensou a Rodoviária em 100 mil euros pela diferença entre o custo do serviço e a receita obtida através da venda dos bilhetes". A noticia também refere, " o Voltas já transportou cerca de 52 mil passageiros."

Isto é: 1,92 euros por passageiro.

Aos Zé's as "coisas" acontecem com naturalidade.



Um aviso para memória futura.


Eles tinham razão, mas infelizmente eu também a tinha, em 2008 no Informalidades, aquando da descida da taxa do IVA para 20%, tive a oportunidade de afirmar que essa medida era um autentico disparate, não passava da primeira medida com carácter eleitoralista e que ninguém ganhava nada com isso, só o estado é que perdia.

Também, em Setembro do ano passado, nas vésperas das eleições legislativas, não só no Informalidades, como também aqui no blogue, alertei para o perigo do aumento exponencial divida externa.

Os resultados destes e de outros disparates, como por exemplo, o da isenção de pagamentos em algumas auto-estradas, estão à vista. Pior do que isso, vão tocar mais uma vez e de que forma nos bolsos de todos nós.

Contudo, para memória futura deixo aqui mais um aviso, espero não vir a ter razão, mas ...

No passado dia 13 de Maio, oportunisticamente, tal como já frisei, este governo socialista, liderado por José Sócrates, aumentou indiscriminadamente os impostos (IRS, IRC e IVA). Fê-lo dando a ideia de que seria uma medida temporária para controlar o endividamento nacional.

Ora, aqui é que está mais uma mentira, não é com este aumento de impostos e por conseguinte, de receitas para o Estado à conta de todos nós, que se resolve esta situação. Esta situação só se conseguirá resolver se houver capacidade de reduzir a despesa e simultâneamente aumentar a produção nacional, quer este seja para fomentar as exportações, quer seja para diminuir as importações.

Vejamos se este binómio não se alterar, se não for possível que as receitas sejam superiores à despesa a divida nunca deixará de subir e assim sendo os impostos nunca voltarão a baixar, bem pelo contrário, caso contrário a divida disparará de novo.

Por outro lado também é incompreensível a teimosia do governo em avançar neste momento com as grandes obras publicas, não só porque elas vão requerer mais financiamentos externos, os quais, como é óbvio, vão inflacionar os números do endividamento nacional, como vão potenciar projectos que terão contas de exploração negativas e por isso mesmo agravarão o deficit do estado ano, após ano.

A continuar assim, aproximamo-nos a passos largos do abismo.

“Afinal eles tinham razão”


Nos últimos anos, três conhecidos economistas, não se cansaram de avisar que Portugal caminhava para o abismo.

A Revista Sábado, na sua última edição, pagina 82, num interessante exercício, recorda o que disseram Campos e Cunha, Medina Carreira e João César das Neves. Nesse exercício recorda o que a esse respeito disse Sócrates e constata o que aconteceu.

Ora veja:

Campos e Cunha, sobre a descida do IVA para 20% em Março 2008:
“O timming foi errado porque as contas públicas ainda estavam longe do equilíbrio”
Sócrates:
“Chegámos a 2008 com a situação orçamental segura e controlada.”
O que aconteceu:
O Défice de 2008 foi de 2,6% e em 2009 foi de 9,4%.

Medina Carreira, sobre a subida de 0,3% do PIB no segundo trimestre de 2009, disse:
“Provavelmente, o governo pagou mais a tempo e horas, há mais empréstimos às empresas, e isto teve reflexos. Mas não é a salvação da economia.”
Sócrates:
“É o princípio do fim da crise.”
O que aconteceu:
O PIB em 2009 encolheu 2,7% face a 2008.

João César das Neves, sobre a apresentação do PEC em Março de 2010:
“O Governo optou por algumas cosméticas. Há risco de vir a pagar-se caro, como na Grécia.”
Sócrates:
“Mantemos os valores do IVA e do IRC incutindo confiança. É desta forma que se defendem as empresas e a economia.”
O que aconteceu:
O Governo teve que subir o IVS, o IRC e o IRS.


Odivelas - O Cordão Humano pela Saúde.


Ontem, tal como noticia o Jornal de Noticias, centenas de pessoas saíram à rua para lutar por mais e melhor saúde. Esta insatisfação, é o reflexo das politicas que têm vindo a ser seguidas pelos últimos governos e pelos últimos executivos municipais. Para além disso, este é o resultado de promessas feitas e não cumpridas.

O redução do horário do CATUS das 24h. para as 22h., dando há população como alternativa, um Centro de Saúde noutro concelho (Loures), cujas acessibilidades não são as melhores e cujo a quantia a pagar por consulta é o triplo do valor, são razões que estão a reforçar insatisfação dos odivelenses, com as politicas da saúde.



Parabéns Mourinho!

Mourinho soma e segue!

Depois da Taça e da Liga Italiana, foi a vez de ganhar a Liga dos Campeões.


Odivelas - Criança de 12 anos morre afogado no Ria da Costa.

22.5.10

Criança morre afogada em Odivelas

Uma criança de 12 anos morreu, este sábado, afogada no rio da Costa, em Odivelas, quando brincava com amigos.

Os bombeiros receberam o alerta às 18:30 e mobilizaram para o local quatro viaturas e 13 elementos. De acordo com testemunhos no local - também citados pela Lusa - o jovem não sabia nadar e brincava com outras crianças nas margens do rio da Costa, quando terá ocorrido o acidente.

O corpo do jovem viria a ser resgatado minutos depois já sem vida.

Além dos bombeiros de Odivelas, estiveram no local uma viatura médica de Emergência e Reanimação, uma dos bombeiros da Amadora e uma equipa de mergulhadores.

O caso está a ser investigado pela Polícia de Segurança Pública.

Fonte: Agência de notícias Lusa

Odivelas - Prq. Estacionamento Egas Miniz.


Após Hernâni Carvalho e Paulo Aido terem levantado a questão da pouca procura de lugares no Parque de Estacionamento Egas Moniz, Susana Amador, num ápice ,alterou os preços. Baixou-os e limitou-se a dizer que este passaria a ser mais um investimento com resultados económicos deficitários.

Esta alteração de preços e a facilidade com que se diz que um projecto passar a ser deficitário, isto é que todos nós, todos os anos, vamos ter que o pagar, é demonstrativo da falta de rigor e da forma como este executivo gere os dinheiros públicos.

Passo a transcrever a nota informativa do Gabinete do Vereadores Hernâni Carvalho e Paulo Aido sobre este assunto.

No estacionamento da Egas Moniz os preços vão baixar.

As intervenções dos Vereadores Independentes, Hernâni Carvalho e Paulo Aido, fizeram baixar os preços no novo estacionamento subterrâneo da Rua Egas Moniz, no centro da cidade de Odivelas.

Hernâni Carvalho apresentou o resultado de um estudo comparativo com alguns outros parques subterrâneos da área metropolitana de Lisboa, incluindo Sacavém, em Loures, e Amadora. E isto depois de na reunião de Câmara do passado dia 5 de Maio, o Vereador Paulo Aido ter manifestado estranheza pela falta de preocupação da Câmara relativamente à muito fraca utilização daquele equipamento recentemente inaugurado. Então, o Autarca questionou os tarifários exagerados que se cifram num 1,20€ hora.

Na altura, Hernâni Carvalho foi mais longe e considerou os preços praticados, mesmo as avenças mensais, como estando entre as mais caras praticadas relativamente a parques subterrâneos em Lisboa, dando alguns exemplos.

Hoje, o Vereador Hernâni Carvalho voltou a afirmar que «os tarifários do Parque Egas Moniz são elevados mesmo em comparação com alguns de Lisboa, que servem interfaces de transportes públicos, como o da Rua do Estado da Índia, em Sacavém, gerido pela Câmara de Loures, os praticados pelo Parques Tejo na classificação económica, o Silo Alvalade no interface do Campo Grande ou mesmo na Gare do Oriente».

Hernâni Carvalho mostrou as diferenças dos tarifários praticados através de um gráfico de barras e deu particular destaque ao facto de:

O Silo Alvalade servir perfeitamente os Odivelenses que trabalham em Lisboa. Pois cobra-se ali, uma taxa fixa diária de 8 horas mais baixa – €3,75, contra os €9,60 cobrados em igual período em Odivelas – os utentes ainda poupam no passe social, necessitando apenas dos passes para circular dentro da cidade de Lisboa. Em 2 dias de estacionamento no Parque Egas Moniz paga-se mais que em 5 dias no estacionamento do Silo Alvalade;

Nos Parques Tejo, tanto na classe Social como Económica, cobram-se diárias de 8 horas de €1,57 e €2,25, respectivamente. No primeiro caso, os utentes têm de adquirir títulos para uma semana de 7 dias;

No Estacionamento da Gare do Oriente, numa zona nobre da cidade de Lisboa, paga-se €7,50 por 8 horas, O que significa que com €150,00 garantem-se 20 dias de estacionamento junto à Gare do Oriente, precisamente o mesmo custo de 15 dias de estacionamento em Odivelas.

No final das intervenções dos Vereadores Independentes, a Presidente de Câmara, afirmou que vai apresentar uma proposta para baixar os tarifários daquele estacionamento.

Futebol de curto alcance

José Mourinho afirmou que a selecção portuguesa não ganhará o Campeonato do Mundo «nem que corra a mil à hora». Disse que por isso mesmo não é favorita. O treinador português do Inter de Milão não fez grandes explicações a este respeito, mas nem necessitou fazê-lo. Tocou na ferida da estratégia que consubstancia a nossa equipa nacional. O próprio seleccionador, Carlos Queiroz, aceitou isso mesmo e falou em falta de trabalho em torno da selecção nacional. Já Cristiano Ronaldo adiantou que «sozinho não faço milagres» e que será difícil ganhar o torneio - «na verdade não somos favoritos… mas é possível fazer um bom torneio e o resultado final depende do momento da equipa».
Pois é não basta que o País precise do bom desempenho da selecção para acreditar que só por isso se reabilita. O futebol volta a ser o entretenimento dos portugueses. Os líderes políticos agradecem e rezam para que o resultado da participação seja um êxito. Seria um excelente antídoto para o momento de crise.
Mas não será fácil. Partimos para o Mundial sem um trabalho profundo realizado em torno da equipa.
Já partimos coxos, tão-só porque se admitiu iniciar a preparação com um jogador a mais porque se tenta incluir à força um atleta que não joga há meses, porque se cria uma despropositada concorrência interna. Também não se esconde que entre os seleccionados temos pelo menos duas categorias – as maiores e as menores estrelas. Aceita-se que Cristiano Ronaldo entre em cena fora de tempo. Já podia e devia estar na Covilhã desde terça-feira. Chegou ontem de helicóptero e foi idolatrado por mais de 2 mil pessoas como se fosse o acontecimento do ano… Um verdadeiro show de humildade. Triste a ostentação dentro de um País que tem mais de 2 milhões de pobres e 10,6% da população desempregada. Era importante sabermos qual a verba que sai dos cofres do Estado para colaborar nas despesas desta representação e quais foram os objectivos exigidos à comitiva.
Percebe-se que temos os indiscutíveis quer estejam ou não nas melhores condições e os suplentes. Temos como quase sempre tivemos uma selecção a dois tempos. E agora até temos os portugueses e os brasileiros nacionalizados. E neste grupo já lá estão três e insubstituíveis porque não há na prata da casa. È difícil trabalhar uma equipa nacional, pedir amor à camisola e à Pátria quando já não se fala só em português, quando o diálogo é feito com atletas que nem conhecem a letra do Hino Nacional que será tocado tantas vezes quanto os jogos que fizermos… e três já estão garantidos.
É uma questão de estilo. Já vendemos a língua portuguesa ao acordo ortográfico brasileiro, porque é que não vamos preparar uma selecção entre os milhões de praticantes federados no Brasil (?) Certamente que conseguiríamos formar mais que uma equipa repleta de talentos.
Mas os clubes portugueses também não permitem o culto pela equipa que representa a Nação. Não a respeitam. Não permitem que se faça trabalho condigno e organizado. Não deixam espaço e tempo para o trabalho da equipa nacional. Depois o calendário nacional é pouco competitivo e não conseguirá ombrear com os calendários britânico, espanhol e italiano, onde se fazem, pelo menos, mais um terço dos jogos dos que são realizados na 1ª Liga portuguesa.

José Maria Pignatelli

Saudades...


Uma grande Mulher e uma excelente Profissional.
O Concelho de Odivelas, Centro de Saúde da Pontinha e extensões da Urmeira e Famões, ficaram mais pobres com a sua deslocação para Lisboa. Tinha o dom da multiplicação...
Muito obrigada, Drª Graciete Pinto, por nos ter preveligiado com a sua generosidade, trabalho e simpatia.

21.5.10

Hora Pimba!

Sobre o Tango.


O Paulo Pinto Mascarenhas publicou há momentos, no seu blogue (ABC do PPM) um post, referenciando o par do tango mais falado nos últimos tempos (Sócrates/Passos Coelho), o qual não resito a linkar. Ora veja!

Novas Taxas - O Cronómetro a Funcionar.


IRS em Junho, IVA em Julho e escalão de 45% para todo o ano.

É uma corrida contra o relógio e a pressão externa. As taxas adicionais de IRS em 1% e 1,5% são para entrar em vigor já a 1 de Junho e incidirem sobre 7/12avos do rendimento anual.

"My Sweet Lord"

video

My Sweet Lord

Dois anos depois da morte do Beatle, George Harrison um grupo de amigos seus, todos de excelente qualidade juntou-se num concerto de homenagem. E entre outros temas ensaiaram uma versão extraordinária de My Sweet Lord, interpretada na primeira voz pelo talentoso Billy Preston que ficou conhecido pelo 5º Beatle por ter sido ele que sempre tocou piano e órgão em todas as gravações do mítico grupo britânico.

O registo é digno de se ouvir e ver.
E para que saibam quem é quem, aqui deixo os nomes e instrumentos que cada um dos artistas utilizou:
Erc Clapton, na guitarra acústica;
Na guitarra elétrica, o filho de George Harrison;
Paul McCartney, ex-Beatle, tocou piano clássico;
Na primera bateria esteve Ringo Star, também ele ex-Beatle;
Na segunda bateria, actuou Phill Collins;
Tom Petty, esteve na segunda guitarra eléctrica;
Entre as vocalistas do coro vê-se Linda Eastman, esposa de Paul McCartney;
E a dar a voz e a tocar um órgão com duplo teclado o não menos famoso músico de blues, BillY Preston.

Neste concerto e em outras fases actuaram Bob Dylan, Ravi Shankar, Ian Anderson dos Jethro Tull.

José Maria Pignatelli

Alguém me pode esclarecer?


Desde que tive conhecimento, no passado dia 13 de Maio, deste aumento brutal na carga fiscal já me passaram várias coisas pela cabeça, mas há questão que me continua a martirizar.

Para que é que serve estruturalmente, a longo prazo, esta subida de impostos?

Agora, ao ler este post de Jorge Costa, no Cachimbo de Magritte, voltei a questionar-me?

Se poderem ajudar a esclarecer-me, por favor, coloquem os devidos esclarecimentos na caixa de comentários.

Obrigado.

20.5.10

Soneto de José Régio cheio de actualidade

Em 1969, José Régio escreveu um soneto precisamente num dia de reunião com antigos colegas de escola… Mas o mais curioso é a sua actualidade.
Passo a transcrevê-lo pela pertinência que ele encerra.
E depois ainda dizem que a tradição não é o que era!!!
_____________________________________

Surge Janeiro frio e pardacento,
Descem da serra os lobos ao povoado;
Assentam-se os fantoches em São Bento
E o Decreto da fome é publicado.

Edita-se a novela do Orçamento;
Cresce a miséria ao povo amordaçado;
Mas os biltres do novo parlamento
Usufruem seis contos de ordenado.

E enquanto à fome o povo se estiola,
Certo santo pupilo de Loyola,
Mistura de judeu e de vilão,

Também faz o pequeno "sacrifício"
De trinta contos - só! - por seu ofício
Receber, a bem dele... E da nação.

José Régio

Um exemplo que vem de França.


Alexandre Homem de Cristo, no blogue Cachimbo de Magritte, dá-nos conta de um exemplo de como em França se faz politica.

Odivelas - Ainda sobre as granadas na panela da sopa.


Transcrevo aqui parte da nota informativa elaborada pelo gabinete dos Vereadores Independentes na Câmara de Odivelas. A parte que transcrevo está relacionada com a segurança e com o facto de terem aparecido duas granadas na panela da sopa da esquadra da P.S.P. de Odivelas.

"O Vereador Hernâni Carvalho levantou mais uma vez a questão da segurança e a propósito do aparecimento de duas granadas sobre a panela da sopa no refeitório da esquadra da PSP em Odivelas, referiu: «não é saudável viver numa cidade em que aparecem engenhos militares dispersos sem proprietário dentro de uma esquadra da Polícia de Segurança Pública».

Para este Vereador Independente a questão é grave e deve preocupar todos os autarcas, mesmo sabendo que não podem intervir directamente nesta matéria «porque não se trata de armas legais ou ilegais, mas antes armas militares que não se encontram à venda e dificilmente transitam livremente no País».

A este propósito, o Vereador Hernâni Carvalho sublinhou a expressão da Presidente da Câmara que «é necessário perceber o que se passa no processo educativo» porque no dizer do Vereador «por exemplo, há jovens que num momento se preocuparem com questões ambientais e noutro aparecem eles próprios mais tarde a fazer o oposto. De facto é preciso perceber o que se passa no processo educativo»»."

"Sem ponte por onde se lhe pegue"



Merece ser lido com atenção o artigo de opinião, assinado hoje por Pedro Santos Guerreiro e publicado no Jornal de Negócios.


"...

Começa já este fim-de-semana!

Aqui está o link para o Rock iVerificação ortográfican Rio, pode ser que dê jeito!

E vai mais uma! (2)


I.R.S. com efeitos retroactivos a Janeiro?

E vai mais uma! (1)

Casamento Gay - Que sejam filizes!

Antes da comunicação feita ao país pelo Sr. Presidente da República, coloquei aqui um post (... e agora Cavaco?), que questionava qual seria a decisão de Cavaco Silva sobre o casamento gay.

Parece que estava a advinhar!

19.5.10

Terra de Oportunidades...

Só mesmo nesta Terra de Oportunidades!

Hoje dia de Reunião de Câmara Pública. Logo para começar a Srª Presidente Susana Amador, comunica que não poderá estar até ao final da dita reunião, pois tem um compromisso na Escola Agricola da Paiã e, que terá de ser substituída pelo seu 2º Vereador Mário Máximo.

O máximo mesmo foi que a reunião começou tarde, teve a apresentação de dois projectos de alunos da Secundária de Odivelas, que a saber-se pelo Sr. Vereador Carlos Bodião, querem valorizar e reestruturar zonas verdes que já tiveram intervenção por parte da CMOdivelas e, que depois de deixadas ao abandono querem requalificá-las e de preferência com mais uma ajudinha da Câmara Municipal. Depois da bela apresentação, eis que se entra no PAOD... mais umas trocas de opiniões e mais informações de que mais dois Vereadores terão de sair mais cedo... continuação e eis que fico perplexa!

Então não é que depois de a Srª Presidente Susana Amador, apregoar a todos os Munícipes, vezes sem conta, que Odivelas é um dos Concelhos mais seguros do Pais. Afinal não é bem assim... é mais uma questão de vandalismo, imagine-se! E o vandalismo é o quê? Não, não pode ser sinónimo de insegurança!

Mais uns pontos da ordem de trabalhos, na primeira reunião informatizada, mas com necessidade de umas ""afinaçõeszitas" et voilá!

A Srª Presidente pede a sua substituição para se ausentar e, com ela saem mais quatro Vereadores. De veras interessante, uma reunião pública, em que Munícipes interessados tentam estar informados e colocar as suas opiniões e questões e simplesmente ficam com o que resta de Vereadores, que unicamente se podem limitar a passar a mensagem á Srª Presidente, para responder a quem de direito mais tarde e por escrito, pois os que ficaram e o que substitui nada pode responder ou informar.

Não... não pode ser, é tudo mau feitio o meu, arrogância e falta de humildade.

Esperemos pela próxima Reunião Pública, talvez tenhamos melhor sorte.

PPP'S - Parcerias Público Privadas




A propósito de avenças de pareceres jurídicos, acordos de políticos e protocolos de parcerias público privadas….

De acordo com vários expert’s na matéria em 2013 irão entrar no perímetro orçamental do País aproximadamente € 1.600 mil milhões relativamente a PPP’S!!!!Negociadas pelo actual governo!

Grosso modo, significa que a vida financeira nacional está mais armadilhada que qualquer campo minado! De salientar ainda que grande parte dos contratos estabelecidos entre o sector público e privado irão ser objecto de sucessivas renegociações o que poderá significar um valor superior ao previsto. Perguntamos nós: Porque razão não se incluem cláusulas contratuais que contemplem auditorias antecedendo os processos negociais??? Resposta.: Porque isso não interessa nada… há que não encontrar justificação para as derrapagens… Como refere o Prof. Medina Carreira: ” A génese da patifaria já está implícita! ”

Também segundo essas sumidades económicas para pagar este exorbitante valor teria que se subir o IVA já, em dois pontos percentuais, para fazer face a esta despesa!!!!! De acordo com a actual situação económica do País, mais uma vez impera a impunidade!
A transparência contabilística não existe e o estado além de não penalizar ignora… Por isso este País, vive sentado à mesa do orçamento e o resultado dessa reuniões permanentes está á vista!

Existe um organismo o UTAO - Unidade Técnica de Apoio Orçamental a funcionar a nível da Assembleia da República, que deveria fiscalizar este tipo de contratos, o que está lá a fazer? ZERO??? Por acaso era bom conhecer-se a proveniência política e familiar dos efectivos ligados a este organismo…

A nível local, em Odivelas tomemos como exemplo a parceria público privada estabelecida para a construção do O'Tech - Parque de Competitividade e Tecnologia de Odivelas que a vir a ser uma realidade irá situar-se na freguesia de Famões, na zona de terrenos da antiga fábrica de fundição da Cometna, desactivada em 2004.

A Luso Capital (proprietária da antiga Cometna) e a CMO assinaram em 2009 um protocolo de parceria ( e não concurso público como seria exigível) intitulando-se a Luso capital como empresa promotora do O’Tech, que de acordo com o que foi divulgado consiste basicamente no seguinte: A CMO recebe da Luso Capital 48 000 m2 de terrenos da antiga Cometna em Famões e entrega à mesma 80.000 m2, de terrenos municipais para reforço de construção do parque habitacional no concelho de Odivelas. Como se em Odivelas não houvesse casas construídas por habitar às moscas!!! Note-se a diferença de valorização entre os dois terrenos para construção de habitação!

Como contrapartida da permuta destes terrenos, a empresa Luso capital irá construir e entregar à CMO dois edifícios que deverão acolher os futuros centros de saúde da Ramada e de Famões. Note-se o desconhecimento dos custos destas construções!

Cá estaremos para avaliar esta parceria que a resultar em pleno deveria estar concretizada até 2013! Sim, porque se o País e o Mundo mudaram imenso nos últimos dias…Vamos ver o estado da Nação até lá no que diz respeito a esta e a outras PPP’S…

Menos 30% nos salários - Querem fazer de nós chineses.


Já há muito que digo que há uma tendência mundial para que fiquemos todos iguais, uma raça (mistura), uma língua (inglês), uma religião (ateus), uma moeda (dólar), um governo único e muito, muito ordeiros.

É fácil encontrarmos medidas, as quais depois de tomadas num país, começam a proliferar pelo mundo fora, mesmo aquelas que quando as ouvimos pela primeira vez pensamos inaplicaveis no nosso país.

Contudo, para que isto funcione bem e para que todos sejamos muito ordeiros é necessário que nos retirem o poder de compra, a autonomia financeira e até o conhecimento académico, para que tenhamos cada vez menos capacidade critica e de intervenção.

O empobrecimento generalizado da população portuguesa tem-se vindo a acentuar ao longo dos anos e esta crise económica e financeira foi um passo gigantesco para o empobrecimento generalizado da população, com especial evidencia para a classe média.

Agora vem o Prémio Nobel da Economia, Paul Krugman, defender a descida dos salários em 30%.

Como muitas vezes digo, o mundo caminha a passos largos, nós portugueses em particular, para uma sociedade tipo a chinesa.

Esta semana não há Informalidades.

Já temos 600 mil desempregados.

Os números aí estão: 600 mil desempregados. 10,6% da população activa.
O desemprego cresceu no primeiro trimestre do ano. Foi divulgado ontem.
Pelos vistos o crescimento em 1,7% da economia nesses mesmos três meses relativamente a igual período do ano passado não foi suficiente para fazer parar a taxa de desemprego.
Antes da satisfação manifestada pelo chefe do governo, valia ter explicado aos portugueses que o crescimento registado no início deste ano foi relativamente ao primeiro trimestre de 2009, precisamente o segundo pior registo da economia portuguesa pós 25 de Abril.
Continuamos a viver a ilusão pela manipulação dos números.
Somos excelentes a transformar o insucesso em êxito.
Procuramos alento na irrealidade.
Deixamos arriscar tudo, mesmo o pouco que temos, porventura vital para o futuro.
Não exigimos rigor nem prudência. E nem sabemos reclamar.
Quando e quem vai desligar o botão da luz que nos ilumina.

José Maria Pignatelli

18.5.10

Quem avisa...

... há muito que se vem alertando para os perigos existentes no Jardim da Música, como seja por exemplo a falta de vedação.

Os dias estão a aquecer e o mais natural é dar uso ao espaço, usufruindo o que nos pode proporcionar.




















Há que prevenir, para depois não remediar!

Dois valores.


Tanto na minha vida pessoal, como na vida empresarial tento reger-me por valores.

Na vida pessoal e profissional esforço-me por os seguir (às vezes é difícil), mas para além disso, na empresa onde sou director-geral também há valores que devem ser seguidos por todos. Não são impostos, são incutidos.

Dois desses valores são possivelmente os mais complicados de incutir, são para alguns os mais difíceis de interiorizar, até porque são aqueles que com maior facilidade conduzem à asneira e ao erro. Sei que apesar dos custos que por vezes acarretam, são talvez esses os valores que mais dinamizam a empresa.

Abertura para aceitar novos desafios e capacidade para assumir o risco, são os dois valores a que me refiro. Há muitos anos, pelo menos desde a minha adolescência que andam de braço dado comigo, ontem foi mais um dia em que tive que os aplicar.

Isto, já não é como era!


Há uns anos, sempre que havia um grande acontecimento, como por exemplo uma visita do Papa, havia uma amnistia ou perdão fiscal.

Tudo mudou! A visita de Bento XVI, para além de não ter tido a sempre simpática amnistia, nem o perdão fiscal, trouxe um significativo aumento de impostos.

Granadas na panela da sopa

Duas granadas foram descobertas dentro da esquadra da PSP de Odivelas na manhã do passado dia 7 deste mês. As granadas foram encontradas sobre a panela da sopa, junto ao refeitório da instituição, numa área de serviço de apoio à cozinha.

Este local não está isolado dos restantes espaços daquelas instalações, tão-só porque a porta exterior que separa estas áreas tinha (e tem (?)) o fecho avariado. Mais inacreditável é o facto da proximidade com o bar e as salas utilizadas pelos agentes da investigação criminal.

De qualquer forma, a ocorrência poderá ter sucedido fora de horas. Mas essa determinação deverá ler-se dentro de dias, no relatório que eventualmente será produzido pela Policia Judiciária militar que esteve no local, segundo noticiou a RTP 1.

No entanto, os engenhos encontrados não fazem parte do equipamento utilizado pelos profissionais da Polícia de Segurança Pública.

Também não menos estranho é o facto de dois automóveis da PSP, devidamente caracterizados, terem aparecido com vestígios de vandalismo. Neste caso não foram revelados detalhes sobre onde e quando foram cometidos tais actos.

De qualquer forma poderemos estar perante uma espécie de noite das bruxas, onde houve tempo para tudo – para alguém, de fora ou de dentro, se ver livre das granadas e dar largas à imaginação deixando umas marcas nos automóveis da corporação.

José Maria Pignatelli

"O Abismo"


Embora Paulo Aido ainda não nos tenha presenciado com uma das suas prosas, a verdade é que continua em grande forma, com o "aparo bem afiado", ou melhor, com o teclado a bater a um ritmo muito afinado.

Hoje foi publicado no Diário de Odivelas o 12º texto do seu Bairro da Memória, o qual tem como titulo "O Abismo". Neste texto, Paulo Aido aborda a forma oportunistica como Sócrates aproveitou o entusiasmo dos benfiquistas e da visita do Papa a Portugal, para fazer uma subida de impostos só comparável com a que foi feita no longínquo ano de 1983.

Pegando nos custos que essas medidas vão ter para a generalidade dos portugueses e antevendo os custos que as mesmas também terão para as autarquias, questiona quais as repercussões que as mesmas terão em Odivelas e qual será a posição de Susana Amador face às medias impostas pelo seu colega José Sócrates.

Aconselhamos a leitura integral de "O Abismo".


"O engano à volta do dinossauro"

J.M. Pignatelli assina hoje mais um texto no Diário de Odivelas, na sua coluna Globalidades. O texto com o titulo de "O Engano à volta do dinaussauro" aborda o assunto do TGV.

"O troço Poceirão – Caia não servirá ao funcionamento pleno do TGV do lado português, mesmo que se crie uma estação provisora no Poceirão, junto à bacia do Sado. Ninguém acredita que uma ligação entre a grande metrópole Madrid à vila alentejana seja o grande momento da rede de alta velocidade entre nós. ..."

17.5.10

Ó pá... ora aí está uma boa ideia (1)

Hoje de manhã a caminho do trabalho e a ouvir as notícias apercebo-me que o PSD do Passos Coelho apresentou uma proposta segundo a qual os desempregados teriam obrigatoriamente de prestar um X número de horas (penso que 15) por semana à comunidade, em serviço social/cívico.
E se recusarem... o Estado recusa-lhes o subsídiosinho.
Vamos lá ver se isto avança a nível legislatívo, e rápido.

Ó pá... ora aí está uma boa ideia!!!

Teresa Salvado

O alto grau de exigência do ensino Português.


Alexandre Homem Cristo colocou um post, no Cachimbo de Magritte, onde se pode ver algumas questões que foram colocadas nas provas de aferição de Matemática (2010) do 6º ano. Elucidativo.

Sócrates e a visita do Papa.


Sócrates, para além de ter sido recebido pelo Papa e segundo sei, porque não o vi, até foi à Missa ao Terreiro do Paço, não resistiu ao momento, para durante a visita de Bento XVI, na manhã do dia 13 de Maio, subir a generalidade dos impostos.

Esta medida foi anunciada neste dia por duas razões claras e objectivas:

1º) Apanhar os portugueses e a comunicação social distraídos com a visita do Papa e com o facto do Benfica ter sido campeão há poucos tempo;

2º) Diminuir a divulgação e a cobertura do êxito que foi a viagem de Bento XVI a Portugal.


E agora Cavaco?


Durante toda a semana que passou o Presidente da República, Cavaco Silva, acompanhou o Papa Bento XVI em quase todos os momentos. Fe-lo em Lisboa, em Fátima e no Porto.

Para além de ter estado em vários momentos marcantes desta visita, Cavaco recebeu-o em São Bento na presença de toda a sua família (à moda da monarquia) e teve com Sua Santidade uma conversa a sós na qualidade de Chefe de Estado.

Esta companhia foi do agrado de Bento XVI e este, na hora do adeus, no seu último discurso (Depedida) em Portugal, de forma amável, não se esqueceu de agradecer a Cavaco Silva toda a disponibilidade.

É minha convicção que Cavaco Silva é um homem atento e que por isso mesmo deve ter ouvido bem as mensagens do Papa (Pastoral Social) , por isso, agora, estou curioso em saber o que vai fazer com a lei, que a ser homologada permitirá o casamento entre pessoas do mesmo sexo.

Será que Cavaco, contrariando os seus princípios de católicos, a vai deixar passar?

SMAS PROCURAM-SE!




Terça-feira 13,30h, não fosse pelo amontoado de lixo dentro e fora dos contentores, seria um lindo dia Primaveril.


Cenário nada agradável a quem passa ou passeia e aos estabelecimentos que junto têm as suas portas abertas (maioritariamente restauração).


Vamos de mal a pior...


Longe vão os tempos em que quando se recolhia o lixo dos contentores e se algum caía para o chão era prontamente recolhido pelos funcionários dos SMAS, que traziam junto a si, penduradas no camião, uma vassoura e pá.


Será que não pagamos todos de igual modo?


Bento XVI – Nem só de sorrisos e bênçãos se fez o êxito desta viagem.



Muitos somos levados a pensar que esta viagem papal se tornou um êxito pela capacidade, até aqui desconhecida, que Bento XVI tem em comunicar com as populações.

Num dos posts anteriores já abordei esse aspecto. É verdade que isso ajudou, é verdade que as quebras de protocolo para isso muito contribuíram (pela primeira vez um Papa abandonou a cátedra para cumprimentar alguém, Bento XVI fê-lo para saudar Manuel Oliveira), também é certo que se criou uma grande empatia entre o Papa e os portugueses e/ou entre estes e o Papa. Mas, para além de tudo, houve uma viagem muito bem preparada, onde cada mensagem foi transmitida no momento certo, sempre pela positiva e de forma clara, não se escusando em apontar o dedo para o interior da própria Igreja.

O Papa que inicou esta visita a Portugal com a história dos abusos sexuais a pairar sobre a Igreja e ainda no avião que o trouxe a Portugal, para além de um elogio nação portuguesa, “arrumou” logo essa questão e fez com que durante toda a sua estada esse assunto não voltasse a ser mencionado.

Como puderam e poderão constatar caso pretendam ler na íntegra os discurso de Bento XVI, todos eles são claros e feitos pela positiva, em lado algum é feito qualquer ataque a quem quer que seja.

Primeiro, assume com frontalidade os pecados da Igreja e diz que os mesmos poderão merecer o perdão, mas isso não impede que a justiça seja feita. Afirma mesmo, "os grandes ataques à Igreja não vêm do exterior, mas sim, do seu interior."

Não teve qualquer dúvida, na sua primeira intervenção, logo à chegada e ainda no Aeroporto, em mencionar o 100º aniversário da República e afirmar que esse facto, o qual separou a Igreja do Estado, deu à Igreja uma maior liberdade de acção e de pensamento. Com este ponto afastou alguns pseudo-intelectuais republicanos de saírem a terreiro para o atacarem.

Bento XVI teve sempre presente o lado humanitário da Igreja e teve uma grande intervenção aquando da audiência com a Pastoral Social e da Saúde.

Aí alertou para a necessidade de haver uma responsabilidade social, uma noção de justiça social e grande sensibilidade humanista por parte de que tem a responsabilidade de liderar equipas e de lidar com problemas sociaias. Também alertou os religiosos portugueses para a necessidade de formarem consciências, com o intuito de no futuro termos lideres com estas preocupações.
Defendeu a família, o casamento entre homens e mulheres, e o valor da vida, solidarizando-se com todos os que lutam por estas causas.

Humildemente, com personagens ligadas à cultura disse: “há toda uma aprendizagem a fazer quanto à forma de a Igreja estar no mundo actual”

Assumiu que visitou Portugal como peregrino de Fátima e no Santuário afirmou que a mensagem de Fátima não está ultrapassada, pelo contrário, está viva e é actual.

Deixou uma mensagem de esperança:

- “A Igreja tem filhos insubmissos e até rebeldes, mas nenhuma força adversa poderá jamais destruir a Igreja.”

- “A nossa Fé tem fundamento, mas é preciso que ela se torne vida em cada um de nós”.


Aos jovens, que tanto o sensibilizou, não só pelo elevado número, mas pela alegria que manifestaram ao longo de toda a sua estadia, disse-lhes:

“É belo ser amigo de Jesus, vale sempre a vida segui-lo. Com o vosso entusiasmo, mostrai que entre tantos modos de viver que hoje o mundo parece oferecer-nos, todos aparentemente do mesmo nível, só seguindo Jesus é que se encontra o verdadeiro sentido da vida.”

No final (Porto), em jeito de conclusão diz: “A Igreja não impõe, propõe, tal como nos recomendou Pedro numa das suas cartas.”

16.5.10

"O Papa mudou do dia para a noite."

Bento XVI – Saiu de Portugal com alma lusa.


Terminou há dois dias a viagem de Sua Santidade, Papa Bento XVI, a Portugal.Como tive oportunidade de escrever, por razões profissionais, tive que acompanhar a toda a sua estadia em Portugal. Acompanhei-o desde que chegou ao Aeroporto do Figo Maduro em Lisboa, até que saiu da Av. dos Aliados.

Pelo motivo a que se deveu a minha presença, infelizmente não pude acompanhar esta visita com a atenção e com a espiritualidade que desejava, mas também por força da missão que me estava incutida, tive a oportunidade e o privilégio de estar em contacto directo com as multidões que o receberam e aclamaram em Lisboa, Fátima e Porto. E também tive o privilégio de me cruzar com Bento XVI várias vezes ao longo destes dias e em locais distintos.

Sou por isso testemunha muito privilegiada do entusiasmo crescente que se gerou à volta da imagem de Bento XVI e à forma como muitas centenas de milhares, para não dizeres milhões de portugueses o passaram a admirar, a amar e a inclui-lo nas suas orações.

Os gestos de agradecimento, acenos, saudações e bênçãos, os sorrisos e o olhar cativante foram uma constante e criaram um elo de ligação com as pessoas, as quais, ficaram surpreendidas, pois na sua esmagadora maioria, tinham deste Papa uma imagem bem diferente.

Contudo, o brilho nos olhos de Bento XVI foi aumentando de hora para hora e de dia para dia. À medida que a sua estadia em Portugal ia avançando, o brilho nos seus olhos ia aumentado, reflectia em forma crescente, sinais de felicidade, de esperança e de amor.

Os portugueses perceberam isso e entregaram-se a Bento XVI.

O inverso também é verdade, Bento XVI partiu para esta viagem envolto em problemas e sob fogo cruzado. Ainda no avião que o trouxe a Portugal teve afirmações arrojadas e corajosas, “os piores ataques à Igreja vinham do seu seio” e “a Igreja tinha ervas daninhas”. Por tudo isso, talvez tenha chegado a Lisboa tenso e expectante.

Contudo, à medida que se foi apercebendo do bom ambiente que o esperava e da multidão que em todos os locais o aguardava, foi-se descontraindo, começou a sorrir e a libertar-se da tensão em que estava, ao ponto de começar a quebrar as mais variadas regras de segurança e de protocolo. A hospitalidade portuguesa a isso o obrigou.

Em Fátima atingiu-se talvez o ponto mais alto desta visita, a Fé dos portugueses, sempre presente neste Santuário Mariano, reflectiu-se e contagiou Bento XVI, havendo mesmo um jornalista da BBC que afirmou, “ Bento XVI floresceu em Fátima”.


Para mim é evidente, os portugueses entregaram-se a Bento XVI, mas também é claro que o Papa alemão, frio e sisudo que aqui chegou transformou-se. Saiu de Portugal um Papa com alma lusa, com um sorriso quente, amistoso, meigo, a reflectir ternura e compaixão e revitalizado por ter testemunhado um “banho” de Fé.


O pontificado de Bento XVI ficará profundamente marcado por esta visita e mais tarde, esta viagem será considerada um dos pontos mais importantes da história deste papado.

Mourinho campeão de Itália.


Após a vitória de hoje no terreno do Siena, o Inter de Milão, treinado por José Mourinho, sagrou-se campeão de Itália.

Depois de ter conquistado a Taça de Itália há uns dia e do Campeonato hoje, só lhe resta conquistar a Liga dos Campeões.

Força Mourinho!



15.5.10

Quatro dias intensos...




O tão ansiado dia 11 de Maio chegou e com ele Bento XVI, era aguardado com alguma expectativa. O dia começou cinzento e chuvoso, mas eis que por volta das 11h da manhã o Sol apareceu, dando luz e calor.

Inevitavelmente fazem-se comparações entre João Paulo II e Bento XVI, diferenças muito prenunciadas e que só ao final do 1º dia em Lisboa, se foram desvanecendo. Bento XVI ficou contagiado com a alegria do Povo Português, deixando transparecer o sorriso.

Segundo dia, Fátima fervilhava de gente aguardando Sua Santidade. Vinham de vários pontos do País. Indianos, Chineses, Ingleses, Italianos, Espanhois, Alemães, Holandeses... apercebi-me da presença de várias religiões (Ortodoxos, Testemunhas de Jeová, Evangélicos, Protestantes...), também quiseram estar presentes, porque queiramos ou não todas as religiões têm pontos onde se tocam.

Bento XVI chegou a Fátima por volta das 17h e com novo semblante, mais solto, espontâneo, contagiado pelo sorriso e calor de quem o aguardava.

Os Portugueses são de facto pessoas muito serenas, houve quem aproveitasse a festa da Vitória do Benfica e a vinda do Papa para "disfarçadamente" aumentar os impostos.
Promessas, promessas, tudo não passou de promessas eleitorais e como com "papas e bolos se enganam os tolos", vai de aproveitar o entusiasmo dos Portugueses.


Parece que os nossos governantes adoptaram o lema da cidade da marmelada para País das Oportunidades... e que melhor oportunidade para apertar mais o cinto dos Portugueses (mesmo a contra gosto) que a agitação, alegria e devoção de um Povo crente?


Bento XVI deixou vários "recados", milagres não existem, mas acredito na mudança, basta querermos e lutarmos para tal. Espero sinceramente que as medidas adoptadas pelo Estado Português, venham a ser aplicadas nas Autarquias, com avenças, contratos inexplicáveis de acordos nunca divulgados, interesses meus caros, interesses...

O como alguém dizia, por aqui me fico e ... Façam o favor de serem felizes!









14.5.10

Finalmente em casa!


Depois de uma semana louca, sempre a acompanhar Bento XVI (Lisboa, Fátima e Porto), estou finalmente em casa.

Gostava de colocar aqui um post sobre a forma como vivi esta visita, a importância que ela teve no meu ponto de vista e até, sobre a forma como o governo aproveitou sabiamente esta semana e a própria manhã de 13 de Maio, para tomar as medidas que tomou, mas sinceramente, a fadiga impede-me de o fazer com a lucidez necessária.

Uma coisa é certa, em Fátima, deu-se o clique. Sua Santidade, o Papa Bento XVI conquistou Portugal, Portugal conquistou Bento XVI e estou certo que o pontificado de Bento XVI vai ganhar a partir deste momento uma nova dimensão.

Um novo Bento XVI floresceu em Fátima

“Bento XVI floresceu em Fátima… Recordou e aproximou-se da imagem de João Paulo II» - foi uma afirmação do jornalista da BBC que acompanha esta viagem do Papa e que muitos portugueses ouviram também no primeiro canal da RTP.
Nada mais certo. Bento XVI sentiu o que todos os peregrinos pressentem quando entram na esplanada do Santuário de Fátima: a presença de João Paulo II.
Este é um dos enigmas da Cova da Iria que nasceu após a visita daquele Papa. Todos recordamos a imagem de João Paulo II que mereceu uma estátua colocada em destaque e que ontem foi venerada a todo o tempo. Isto mesmo foi sistematicamente mostrado por todos os canais de televisão, mesmo os estrangeiros.
Como escrevi há dois dias, esta visita ocorre num momento delicado da Igreja Católica, mas também num período complicado do quotidiano dos portugueses flagelados por uma crise sem precedentes e que parece ainda só ter começado.
Na Cova da Iria sentiu-se esta consciência, e a movimentação de quase meio milhão de pessoas foi um claro grito à espiritualidade como derradeiro refúgio dos mais desprotegidos ou daqueles que temem entrar na lista, cada vez maior, de cidadãos em risco de pobreza.
Os portugueses são mais instruídos e percebem o risco que correm actualmente os pequenos e médios empresários com a carga fiscal que agora será aumentada, independentemente dos impostos indirectos que inviabilizam as perspectivas de aumento do poder de compra e consequentemente da revitalização da actividade comercial. Quase todos foram a Fátima pedir a intervenção do Papa. Pedir-lhe que reze por todos nós, porventura pela nossa salvação. Esperavam uma expressão que mexesse com os seus íntimos que aliviasse as dores próprias de um calvário de crise económica, social e moral que vivemos há anos.
Bento XVI percebeu isso no Terreiro do Paço e à porta da Nunciatura onde pernoitou. Viu milhares de jovens estenderem-lhe os braços, gritar o seu nome, suplicarem-lhe por ajuda divina. O Santo Padre não gosta de uma Igreja espectáculo. É bastante mais tímido que o seu antecessor. E tem dificuldade na aproximação às multidões. Mas o staff do Papa foi irrepreensível – fê-lo deixar cair alguma timidez, fez com que conseguisse interagir com os fiéis mas muito em particular com os mais jovens e alimentar a esperança.
Bento XVI emocionou quase todos, conseguiu impor o seu discurso deixando novos recados ao poder político e às instituições de apoio social, e encetou uma nova linguagem gestual. Foi humilde quanto baste para recordar João Paulo II e, porventura fez com que sentíssemos a presença Dele. E depois da missa da manhã dispensou tempo aos bispos e aos representantes das instituições de apoio social que são uma espécie de braço armado da Igreja no terreno, que desenvolvem trabalho meritório junto dos mais necessitados. Aliás, neste último encontro Bento XVI realçou a importância de manter presente a doutrina da Igreja qualquer que seja a intervenção que se faça… a necessidade de se ter sempre espírito missionário.
É crível aguardar por um novo momento na missa campal da cidade do Porto, por certo um discurso com um novo formato. A estada em Portugal de Bento XVI está em crescendo e poderá revelar-se como das mais importantes deste pontificado até ao momento.

José Maria Pignatelli

12.5.10

Foi um grande dia! As imagens falam por si.




Mais imagens podem ser vistas aqui.


Estou especialmente à vontade para falar e/ou escrever sobre este tema, porque comecei às 7.00 h. da manhã a trabalhar neste evento e acompanhei-o até à noite.

Para além de ter assistido em diversos lugares a grandes manifestações (nº de pessoas), devido ao trabalho que estive a desenvolver, também tenho números e estou certo, que na Baixa, a partir das 17,30h, estiveram muito mais de 100.000 pessoas. Tenho pena que os media, eventualmente, não dêem a imagem da real dimensão deste acontecimento, mas quem esteve presente sabe bem o que viu e sentiu (nota 1).

Contudo, durante todo o dia, para além do trabalho que coordenei me ter deixado satisfeito, houve algo que me deixou particularmente contente e que não vou deixar de destacar, a quantidade de jovens presentes e a alegria com que o fizeram.

Bem sei, que muitas pessoas da minha geração, ou um pouco mais velhas, tendem a comparar Bento XVI com João Paulo II, claro é inevitável! E até, a comparar esta viagem, com a primeira que João Paulo II fez a Portugal, mas isso, é que é incomparavel, não só por razões históricas, como por razões sociais.

Uma coisa garanto, os jovens que hoje acompanharam o Papa viveram este acontecimento com tanta ou mais alegria, como aquela, com que nós, no nosso tempo de juventude, o fizemos aquando das visitas de João Paulo II a Portugal.

Do dia de hoje, só tenho pena, que pelo facto de ter estado envolvido profissionalmente neste acontecimento, não o tenha vivido espiritualmente tal como desejava.

Fica para amanhã.



Nota 1
:já aquando da vinda da Imagem de Nº Sr.ª de Fátima a Lisboa foi a mesma coisa.

Um Papa sem brilho

A viagem de Bento XVI ao nosso País faz-se num momento particularmente difícil da vida da Igreja, mas também do quotidiano português. Estamos mergulhados numa crise económica, social, moral porventura mais profunda do que se imagina.
O Papa Bento XVI é diferente do antecessor João Paulo II. Percebe-se que é também de fortes convicções, conhece e sabe o caminho que percorre. Está mais distante das multidões. Interage com enorme dificuldade. E não consegue aproximar-se aos mais jovens independentemente da estratégia que deixa transparecer para o futuro.
O Papa é assim e os portugueses fiéis sabem-no.
A resposta foi a que se viu:

Incomparavelmente menor que a recepção a João Paulo II.
Muito poucos às janelas.

Menos bandeiras e colchas penduradas.
Nos percursos as multidões apareceram sobretudo depois da missa do Terreiro do Paço e quase só até aos Restauradores. Valeram os jovens que acreditaram valer a pena seguir Bento XVI até à Nunciatura, na Latino Coelho, e dedicar-lhe umas serenatas.
Mas o Santo Padre trouxe a lição bem estudada. Percebeu que vinha rezar com um povo desmotivado a precisar de refugiar-se na espiritualidade. E deixou algumas mensagens e recados ao poder político. Na missa do Terreiro do Paço recordou que foi dali que os portugueses se aventuraram à descoberta de novas paragens. Que dali partiram muitos missionários que quase globalizaram o cristianismo. Apontou claramente que o futuro poderá voltar a estar no mar, na procura de novos destinos, e oportunidades.
E talvez por isso Bento XVI também afirmou recear estar num País onde a fé se pode perder, numa clara alusão às dificuldades económicas que o Pais atravessa, desigualdades sociais em crescendo e, naturalmente às iniciativas legislativas como o liberalização do aborto e a permissão do casamento entre pessoas do mesmo sexo.
Bento XVI deixou estes recados na homilia da missa campal do Terreiro do Paço que se encheu de crentes e que teve uma transmissão televisiva feita a uma só realização para todos os canais de televisão. Uma transmissão que pecou pela falta de ambição, exagerou dos planos mais fechados e se esqueceu de contribuir para a venda da nossa imagem de marca, alargando os horizontes nos tempos mortos do evento, tanto mais que se estava no coração da cidade e que se podia ter mostrado muito mais. E isto era tudo possível mesmo sem perder a noção do bom senso que tem de imperar nestas circunstâncias.
Bento XVI terá de fazer um enorme esforço para renovar as energias e a auto estima, mesmo emocionar a multidão que o aguarda no Santuário de Fátima. O Papa tem de perceber Fátima, de saber o esforço de dezenas de milhar que prometeram e percorreram centenas de quilómetros a pé, para com Ele rezarem.

José Maria Pignatelli

Grécia e Portugal a par, no tempo de Eça

Os especuladores financeiros tentam colar Portugal à Grécia neste momento de crise profunda. Os mercados acabam por reagir quase sempre mal. Vale o anúncio do ministro Teixeira dos Santos em antecipar as medidas anunciadas no Plano de Estabilidade e Crescimento. Mas até quando (?) Será que estamos no mesmo patamar dos gregos? Acredita-se que não estaremos longe.
Mas esta comparação ou colagem à tragédia Grega não é a primeira vez que sucede.

Em 1872, Eça de Queiroz em «As Farpas» escrevia:
"...Nós estamos num estado comparável somente à Grécia:
mesma pobreza,
mesma indignidade política,
mesma trapalhada económica,
mesmo abaixamento de caracteres,
mesma decadência de espírito.
Nos livros estrangeiros, nas revistas quando se fala num país caótico
e que pela sua decadência progressiva, poderá ...vir a ser riscado do
mapa da Europa, citam-se a par, a Grécia e Portugal
".

Naturalmente que isto sucedeu há 138 anos. Mas continua, infelizmente, a fazer sentido e a ter razão.


José Maria Pignatelli

11.5.10

Perdas e Danos



E com esta sucessão de efemérides que tem assolado o nosso País, o governo lá vai injectando medidas que assaltam os bolsos de quem já pouco tem para dar!

Mas será que perdemos também a tenacidade? O direito à indignação?

Então vão mesmo para a frente com essa história do corte no 13º mês? Será que vamos calar e não bufar??? A maior parte das famílias precisa desse dinheiro no Natal, para poder equilibrar as finanças do ano, tal como precisam do subsídio de férias para, pelo menos, levar os filhos à praia no Verão! “Os pobres que paguem a crise!”

Porque não reavaliam a concessão absurda dos subsídios atribuídos ao desbarato para angariar votos nas últimas legislativas? Todos nós conhecemos casos de pessoas que estão a receber o rendimento social de inserção e a trabalhar! E ainda auferem um salário mais alto que alguns trabalhadores!!!

O estado deveria era pensar em indemnizar-nos por perdas e danos, pela gestão político financeira danosa que tem feito em prol de uns e em detrimento de muitos! E agora, são esses muitos que têm que suportar esse custo? Então e os uns que gerem pessimamente as empresas públicas e semi-públicas no nosso País não estão sujeitos a cortes e ainda têm direito para além dos enormes salários, a prémios exorbitantes? Porquê, por fazerem asneiras? Já para não falar nas benesses que usufruem em paralelo? E quem de direito neste País continua a assobiar para o lado? Para a oposição político partidária mover uma moção de censura ao governo é preciso reunir que requisitos?

Ou / e uma queixa no Tribunal Europeu não se justificava???? POR GESTÂO DANOSA das finanças públicas, das políticas praticadas e das nossas vidas!!!!
Recuso-me a aceitar que isto é Portugal! Não, não é! È o resultado de um povo apático que teve a infelicidade de ter dado poder a um nicho de chico espertos que estão a fazer deste País a chamada “República dos Bananóides!”

Agora, vamos deixá-los lá estar? Até quando?