28.2.11

Mosteiro de Odivelas - Já somos 4.033.

Não fez um mês que iniciámos esta caminhada e embora a recolha de assinaturas ainda continue nos espaços comerciais do Concelho e na Net, já somos mais de 4.033 os que subscrevemos a Petição pública para a abertura ao Público do Mosteiro de Odivelas.

Continuemos!


O Barbeiro - (Anedota)

Certo dia um florista foi ao barbeiro para cortar o cabelo. Após o corte, perguntou ao barbeiro o valor do serviço, e o barbeiro respondeu:
- Não posso aceitar o seu dinheiro porque estou a prestar serviço comunitário esta semana.
O florista ficou feliz e foi embora. No dia seguinte, ao abrir a barbearia, havia um buquê com uma dúzia de rosas na porta e uma nota de agradecimento do florista.

Mais tarde, no mesmo dia veio um padeiro para cortar o cabelo. Após o corte, ao pagar, o barbeiro disse:
- Não posso aceitar o seu dinheiro porque estou a prestar serviço comunitário esta semana.
O padeiro ficou feliz e foi embora. No dia seguinte, ao abrir a barbearia, havia um cesto com pães e doces na porta e uma nota de agradecimento do padeiro.

Naquele terceiro dia veio um deputado para um corte de cabelo. Ao vê-lo puxar a carteira para pagar, o barbeiro disse:
- Não posso aceitar o seu dinheiro, porque estou a prestar serviço comunitário esta semana. O deputado ficou feliz e foi embora.

No dia seguinte, quando o barbeiro veio abrir a barbearia, havia uma dúzia de deputados na fila para cortar o cabelo.

27.2.11

Constâncio - "O Conceituado"



Pensava eu que já tudo tinha ouvido sobre a prestação de Constâncio - "O Conceituado" enquanto (des) governador do Banco de Portugal.

O caso BCP, BPN e Banco Privado para mim tinham sido esclarecedores quanto à sua função de supervisor, mas há momentos, ao ver a Grande Reportagem SIC, cujo o tema foi a "Corrida ao Ouro" fiquei a saber que as suas decisões enquanto gestor dos activos Banco de Portugal ainda foi mais desastrosa, penosa e honorosa.


Diz a reportagem que Constâncio - "O Conceituado" não gostava de ver o Ouro armazenado nos cofres do Banco de Portugal e por isso vendeu entre 2002 e 2006 cerca de 220 toneladas desse precioso material.

Comparando com as cotações actuais do Ouro, Portugal perdeu quatro biliões de euros.

Mosteiro de Odivelas - Últimas noticias sobre a Petição.


Para acompanhar a excelente evolução e todas as notícias sobre a Petição para a abertura ao público do Mosteiro de Odivelas deverá seguir o blogue Pensar Odivelas.

... ainda sobre o Sporting.


Caro José Maria, muito gostava de aceitar o repto que foi lançado neste post, o qual, sobretudo na última semana, me foi lançado por inumeros sportinguistas.

Embora esteja disponível para opinar e tenho ideias muito claras, infelizmente e com muita pena, não tenho disponibilidade para mais que isso, até porque ainda não vi nenhum projecto com força suficiente para ajudar a resolver a delicada situação em que o Sporting se encontra.



Falta de chá, arrogância e prepotência estão à vista.

O problema de gente mal preparada, com pouca formação moral e sem os valores que devem ter os altos signatários do estado estão à vista de todos. No espaço de apenas uma semana, dois dos rostos mais conhecidos e influentes do clã de Sócrates tiveram atitudes que no mínimo considero inaceitáveis e vergonhosas, primeiro foi Armando Vara e depois foi Alberto Martins.

Originalidades perigosas

O Sporting é um clube demasiado grande para aceitar tanto amadorismo.
Miguel Xara Brasil fala de pioneirismo. Mas devo alertar que nem sempre ser pioneiro é bom sinal. E em Portugal os exemplos são mais negativos que positivos.
Adoramos construir quintas e quintais. Em Portugal muitos clubes, Associações de bombeiros, particularmente das cidades e vilas mais pequenas, e muitas outras instituições e autarquias são exactamente transformadas em feudos de cidadãos que se tornam mais mediáticos sabe-se lá bem porque razões. Alguns acabam por prestar um bom serviço, outros nem por isso e conseguem manter elevada mediocridade.
No Sporting, nas últimas décadas não tem acontecido nada de bom.
Não sou adepto do Sporting, mas incomodam-me os iluminados que brincam no seio das instituições que reclamam credibilidade e servem milhares de anónimos amantes do associativismo e das actividades desportivas num conceito mais vasto que o futebol.
De facto é a primeira vez que me recordo de ver:
Despedir um treinador na véspera de um jogo importante e a três dias de outra partida ainda mais relevante;
- De sair o treinador e ficar a sua equipa técnica;
- Do novo treinador interino, também director-geral do departamento do Futebol assumir funções a dois dias de um dos jogos mais importantes da temporada, precisamente uma meia-final e logo contra o Benfica.
Mais perplexo fico quando vejo sucederem actos de gestão preocupantes como o de passar os activos para nome da SAD (Sociedade Anónima Desportiva) e deixar o clube "agarrado" ao passivo. Estas práticas são comuns e só nos devem envergonhar porque passam uma péssima imagem do País e dos seus agentes que forçosamente são reconhecidos por gente menos séria. Senão vejamos para quantos torneios de Inverno de indor futebol (usuais na Europa Continental durante o mês de Janeiro e jogados em pavilhão) foram os clubes portugueses convidados?
O Sporting merecia muito melhor, mas como clube desportivo de primeira linha que é, servirá sempre um grupo de interesseiros mais do que interessados na causa da defesa dos interesses da instituição.
Lamentável!
Desafio Miguel Xara Brasil a juntar-se aos seus amigos do Sporting e a arranjar uma lista credível para concorrer às eleições se é que ainda vão a tempo. É que tanto quanto se ouve em alguns dos bastidores, estes sportinguistas têm programa e ideias perfeitamente definidas e já passado a papel. Além disso, são um grupo de pessoas com fortes convicções, possuidores de uma estratégia a médio prazo e defensores do clube numa perspectiva de instituição de utilidade pública ainda que com a necessidade de uma gestão empresarial ao mais alto nível, tão-só pelo cariz social, entidade empregadora de relevo, prestígio e montantes financeiros gerados.
A actual situação do Sporting não serve à competição futebolística nacional e mesmo internacional. O exemplo do Boavista e do Farense deviam servir para acautelarmos situações futuras arrepiando caminho e exigir responsabilidades aos dirigentes.
José Maria Pignatelli

Voos cruzados nos céus da grande Lisboa

Insólito ou talvez não. Invulgar porventura por força de estar um céu azul muito resplandecente. Ao início da tarde de ontem, num curto espaço de tempo, cruzaram-se no céu da grande Lisboa aproximadamente 20 aviões todos a mais de 22 mil pés de altitude.
Os voos eram invariáveis – para Noroeste, Oeste e Sudoeste. Os rastos deixaram desenhos menos habituais para quem olha o céu nestes momentos mais luminosos. Também não é todos os dias que vemos estas ocorrências sobre a cidade ainda que se saiba que a Fir de Lisboa é a auto-estrada aérea mais importante do Sul do continente europeu. Talvez por isso ou talvez não, assistiu-se a este movimento. Fica o registo!

José Maria Pignatelli

Sporting - Mais uma vez pioneiro.


Já há muitos anos atrás, no inicio dos anos 80, ao colocar um dos seus jogadores a treinar a equipa, na altura António Oliveira, o Sporting com essa opção tornou-se pioneiro. Hoje, passados que são quase 30 anos, ao colocar um dirigente a treinar a equipa, volta mais uma vez a ser pioneiro. Embora simpatize com José Couceiro, lembro que ele foi o único treinador que passou no Porto nos últimos anos e que conseguiu a proeza de não ser campeão, talvez o seu sportinguismo tenha justificado esse facto.

Por vezes não nos lembramos, mas ...

Led Zeppelin-Stairway to Heaven

O silêncio da noite.


Aproveitei o silêncio desta noite de Sábado, para no sossego do lar, ao som de uma boa música, escrever o segundo texto da Coluna "Pode Haver Luz", o qual será publicado no próximo número do Nova Odivelas. "Mundo de Cão", será o titulo.

26.2.11

A Madalena Varela desafiou todos os Odivelenses.


Só hoje reparei que a Madalena Varela colocou no seu blogue, O Reino da Odivelix, um desafio muito interessante, Odivelbook.

Veja e participe!

O direito à indignação

O uso do direito à indignação só se comprende quando nos indignamos com o que é injusto, abusivo, oporunista, contrário à verdade, ao bem de todos.
Eu indigno - me particularmente, com a injustiça e com a limitação da liberdade. São direitos sagrados e universais e defendo-os com as armas que tenho.
A nossa indignação não se justifica quando vemos apenas os nossos interesses questionados ou postos em causa. Aí está a funcionar uma mistura de sentimentos e instintos e os instintos são automáticos. Intrometem-se sem que a razão tenha decidido primeiro. O primeiro impulso vem dominado pelo instinto e às vezes coloca-nos mal. Ultrapassar a fase da deliberação será sempre um erro contra nós.

25.2.11

Ainda a 1ª Assembleia Municipal de 2011.

A primeira Assembleia Municipal deste ano teve duas reuniões. Na primeira a qual foi ocupada quase exclusivamente com o P.A.O.D., a Petição sobre a abertura ao público do Mosteiro de Odivelas, foi o tema dominante. Na segunda reunião, foi a discussão da Actividade e a Situação Financeira do Município que dominou toda a reunião.

Tanto uma reunião, como a outra, tiveram quanto a mim (sou suspeito) pontos muito interessantes, por isso desde já convido todos a estarem atentos à grelha da Odivelas Tv, para que assim que forem publicadas as imagens, vejam e oiçam com atenção o que lá se disse e passou.

Será que já não é assim?



Era comum há uns anos e penso que ainda o é, que quem tem uma casa um pouco isolda, para se defender a si e à prória habitação, costuma optar por ter um ou mais cães para o ajudar nessa tarefa.

A sociedade tem evoluido, os hábitos, os costumes e as tradições têm-se alterado, mas eu pergunto: será que o cão de guarda já perdeu a sua função e o seu emprego?

Enigmático!

Europa 1957 /// Europa 2010.


EUROPA 1957.




EUROPA 2010.

Odivelas - Assembleia Municipal de ontem


Realizou-se ontem mais uma reunião da Assembleia Municipal de Odivelas.

Um dos pontos, aliás o único que "mereceu debate", foi a Actividade Municipal e a Situação Financeira do Município. Neste ponto a intervenção da bancada do CDS, a qual foi feita por mim, dividiu-se em três notas:

1ª Nota - Sobre as Actividades Económicas;

24.2.11

Pensamento desta manhã!


Recuso-me a promover nomes de pessoas e pessoas, que através do desdém e do maldizer, utilizando subterfúgios semânticos e insinuações, tentam por essa via colher algum fruto, o qual por mérito próprio jamais o alcançarão.

Disponível, Fiel, Pudica e Resistente.


Hoje, depois de muitos, anos, milhares de dias e de dezenas de milhares de horas; depois de ter percorrido o País, grande parte de Europa e alguns pontos de outros continentes, ou seja, milhares e milhares de kilometeros, milhares e milhares de horas. E perante o agonia de uma morte lenta, por estar mais fragilizada a cada dia que passava, que resolvi, que a minha pasta tinha direito ao seu eterno descanso.

Disponível (sempre disposta a aguentar com mais qualquer “coisinha”), fiel (nunca foi com outro), pudica (nunca deixou que lhe pusessem a mão) e resistente (nunca rebentou), era assim a minha pasta.

Vou ter muitas saudades.


Hoje tirei férias do blogue.


Não sei se alguém reparou, mas hoje/ontem tirei férias do blogue (às vezes dá jeito a todos), a causa foi mesmo falta de tempo, mas nem por isso deixei de escrever muito. Espero não me ter esquecido de ninguém, se isso aconteceu foi distracção e acreditem, a tarefa não foi fácil.

Agradeço aqui mais uma vez a todos os quantos me enviaram mensagens.

MUITO, MUITO OBRIGADO!

22.2.11

"Eternas Saudades do Futuro" com novidades.


Um dos blogues que me habituei a seguir desde o seu inicio é o do meu amigo João Marchante, desde ontem e a partir de agora, todas as segundas-feiras, o "Eternas Saudades do Futuro" vai contar com a escrita do Pedro Guedes da Silva.

O primeiro texto já lá está e recomendo a leitura.

Bruno Nogueira e Prof. Marçelo - Não perca!

"Todos juntos"/Desígnio Municipal por decreto.

Um Desígnio Municipal até pode ser aquilo que o executivo queira, mas isso é por “decreto” e sendo assim, dificilmente será assumido por todos. O que se pretendia com estas propostas não era um desígnio por “decreto”, era um desígnio que dissesse algo a todos, que todos os partidos o sentissem da mesma forma e que todos lutassem por ele, o que é objectiva e manifestamente diferente.

Foi isto, dando mais uma vez um mau exemplo e comprometendo simultâneamente o discurso da Sr.ª Presidente, “uns com os outros” ou "todos juntos", tal como já o tem feito repetitivamente o Vice-Presidente da Câmara, que a bancada do PS chumbou ontem na Assembleia Municipal.

Vem isto a propósito das declarações de Miguel Cabrita, líder da bancada socialista, ontem na Assembleia Municipal. A este respeito, numa tentativa esfarrapada de justificar o voto contra da sua bancada, afirmou que não se justificava aprovar estas recomendações porque o executivo já entendia esta causa como Desígnio Municipal.

Tribunal Constitucional "recupera" 60 mil votantes

O Tribunal Constitucional anunciou hoje que votaram nas eleições presidenciais 4.492.453 pessoas, mais 60.604 do que no mapa oficial dos resultados, mas praticamente o mesmo número que tinha sido anunciado a 23 de Janeiro.
Os beneficiados com esta recuperação de votos são Defensor Moura, José Manuel Coelho, Cavaco Silva e Francisco Lopes.
De acordo com a agência Lusa, a assembleia de apuramento geral da eleição do Presidente da República, da responsabilidade do Tribunal Constitucional, voltou hoje a reunir, depois de ter sido solicitado aos presidentes das assembleias de apuramento distritais "a confirmação ou rectificação" dos dados inicialmente transmitidos, tendo aprovado a correcção dos números.
Assim, votaram a 23 de Janeiro 4.492.453 eleitores, mais 60.604 do que constava no mapa oficial dos resultados, aprovado pela Comissão Nacional de Eleições apenas com o voto de qualidade do seu presidente, e apenas mais 156 votantes do que o anunciado na noite eleitoral no site www.mj.presidenciais.pt .
Com este anúncio do Tribunal Constitucional, Cavaco Silva soma mais 353 votos do que na noite eleitoral, Manuel Alegre menos 799, Fernando Nobre menos 1047, Francisco Lopes mais 96, José Manuel Coelho mais 827 e Defensor Moura mais 998.
http://noticias.sapo.pt/info/artigo/1131839.html

Exemplo de um bom filme promocional.




Aqui está o exemplo de um bom filme promocional.

Aqui está um bom exemplo da forma como se pode promover um Concelho, em vez do trabalho de um executivo.

Aqui está mais um bom exemplo do que pode ser feito para a dinamização das actividades economicas de um Concelho.

Não precisam de dizer que as realidades não são comparáveis, eu sei que não, mas pode-se fazer-se muito, mais.

Há que notar que algumas daesta imagens nem seque são do Concelho de Cascais.

Este filme tem poucos dias e já foi visto mais de 10.000 vezes.

Eu sei que talvez não saibam fazer, mas há quem saiba e antes de se fazer, tem que se saber o que é que se quer promover.

Odivelas - Ontem, hoje, amanhã e depois.


O ano politico em Odivelas parece que arrancou definitivamente. Hoje haverá uma Reunião de Câmara pública que deverá ser animada e amanhã haverá mais uma (extraordinária). Na quinta-feira, haverá a continuação da Assembleia Municipal que começou ontem e da qual, embora me falte fazer algumas considerações, já estão aqui publicados em 6 posts, o teor de alguns dos pontos que lá foram abordados.

Um elogio merecido à Policia Judiciária

A natureza da Polícia Judiciária foi analisada e apresentada por um sociólogo independente que, seguramente, não faz publicidade a pedido. Apenas encontrou as explicações sobre como devem funcionar as organizações, assim como os seus colaboradores, para alcançar o êxito da função que realizam.
Acredito que qualquer funcionário da Polícia Judiciária se revê nesta descrição.
Também de certa forma, este olhar sobre a PJ, particularmente no período conturbado que vivemos, representa mais do que um elogio merecido, um acto cada vez mais raro e de justiça pública, numa comunicação social de modas que tende a passar para os leitores apenas o lado efémero dos acontecimentos.
Valerá a pena as pessoas conhecerem a realidade da Polícia Judiciária na perspectiva de um observador externo atento, num momento em que a desconfiança sobre a investigação e a sua qualidade são sistematicamente colocadas em causa pelo Direito, independentemente de muitos de nós percebermos que esse Estado de Direito quase não existe e encerra dois pesos e duas medidas privilegiando os mais ricos que podem pagar a justiça.
Mas esta observação sobre a nossa polícia de investigação mostra uma realidade que os sucessivos governos tendem a ignorar e mesmo a desprezar em muitas ocasiões. É uma efectiva realidade que certos poderes dominantes incrustados no Estado e na política gostariam de modificar, domesticar ou neutralizar, designadamente, através de um processo de aculturação numa nova super polícia nacional... bem «obediente».

Vale a pena ver e ouvir até ao fim o filme. Houve quem não gostasse pelas mais variadas razões.

http://sic.sapo.pt/online/video/programas/mais-mulher/2011/2/ensinamentos-da-pj-uteis-para-a-sua-carreira16-02-2011-163354.htm
José Maria Pignatelli

21.2.11

Imagens do Interior do Mosteiro de Odivelas.



1 -Túmulo D.Dinis


2 - Refeitório
3 - Cláustro Grande (Galeria Sul)
4 - Interior da Igreja.

Gostava de conhecer esta parte do Património Nacional, não gostava?

Então saiba que o acesso ao seu interior deste Mosteiro, o de Odivelas, de seu nome S.Dinis e S.Bernardo, está vedado ao mais comum dos cidadãos e é por isso, para que todos nós possamos conhecer esta maravilha escondida que está uma Petição a decorrer.

Se está verdadeiramente o interessado em o conhecer ou o dar a conhecer aos seu filhos e netos, e se ainda não subscreveu, faça-o agora mesmo, basta clicar aqui.


20.2.11

Não morreu por um triz

Não morreu por um triz. Um septuagenário esteve quase três dias caído na casa de banho à espera de ajuda. A única companhia foi a do seu cão que passou os três dias deitado junto do dono. Mais uma família monoparental (mais um idoso a viver sozinho) a entrar nas estatísticas do País cada vez mais envelhecido e sem soluções para contrariar a solidão em que se encontram centenas de milhar de portugueses com mais de 65 anos.

Este septuagenário teve a sorte de combater a solidão com rotinas diárias – passava todos os dias por alguns lugares, entre eles uma loja de artigos para animais onde acabou por se tornar amigo do proprietário a ponto de lhe confiar uma cópia da chave de casa.

Foi precisamente a sua ausência por três dias que despertou a atenção do amigo. Perante tantas notícias sobre mortes e acidentes de pessoas idosas que vivem sozinhas, não hesitou: abriu a porta e deparou-se com o amigo estendido no chão da casa de banho. O septuagenário caiu ao sair da banheira, partiu uma perna e embateu forte com a cabeça. Valeu na circunstância o seu cão que nunca mais o largou. Encontram-se ambos a recuperar sobretudo de grande desidratação que evidenciavam.

À falta de soluções, entre elas um serviço de tele-assistência com mensalidades acessíveis e que permita andar com uma pulseira para activar a cahmada de emergência, resta aos mais idosos adquirir rotinas e ter amigos por perto de forma a evitar que acidentes deste género possam ser fatais.

José Maria Pignatelli

Não foi um Domingo fácil, mas ...


Não posso afirmar que este tenha sido um Domingo fácil.

Começou bem cedo com uma deslocação ao Seixal para ver o meu filho jogar contra o Benfica e se vê-lo perde já custa, então contra o Benfica, por um golo e ainda para mais com penalti que não existiu, pior (lol). Safou-se a noticia que recebi há pouco e na qual me informaram que hoje na Póvoa de St.º Adrião, mais 200 pessoas subscreveram a petição para a abertura ao público do Mosteiro de Odivelas.

Deserto Atacama - Chile

Moonlight Sonata - Beethoven

18.2.11

A primeira entrada no Largo D. Dinis


Ficam de fora dois nomes de referência de Odivelas

Nas Jornadas de Naturologia vão faltar
o médico e investigador Jorge Ferreira
e o osteopata Pedro Choy


Odivelas vai ter umas primeiras Jornadas de Naturologia onde se vão debater as terapêuticas não convencionais actualmente reconhecidas como fundamentais para a recuperação e manutenção da saúde. Do programa ressalta entre outros assuntos o tema Osteopatia das cervicais, mas não se entende se ao debate serão chamados os meios e a ciência que encerram o diagnóstico.
Estranha-se é que neste capítulo falte um dos maiores clínicos portugueses desta área, intimamente ligado à cidade de Odivelas – Jorge Morgado Ferreira, o médico português que colocou a área da densitometria num standard mundial e que é um dos responsáveis pela Clínica de Radiologia e Imagiologia de Odivelas e também no Instituto Português de Oncologia de Lisboa. Também não se prevê nenhuma intervenção de Pedro Choy, Osteopata e mestre de acupunctura, com consultório também na cidade de Odivelas.
O Dr. Jorge Ferreira, de 45 anos, é o investigador co-autor do único estudo europeu dos primeiros 3 que foram apresentados em Orlando, nos Estados Unidos, em Março de 2009, sobre a densiometria, precisamente um ano depois da OMS - Organização Mundial de Saúde – ter lançado um novo algoritmo de cálculo de risco de fractura. Este facto ansiado há muitos anos por todos os que se dedicam ao estudo e actividade clínica desta especialidade levou o consultório de Odivelas a ser o primeiro a adaptar esta metodologia e a recolher dados.
Em 2009, com uma base de dados mais alargada, a perspectiva critica do Dr. Jorge Ferreira tornou-se mais sólida e proporcionou analisar novas vertentes da densitometria. Esta actividade científica foi (e continua a ser) um ganho colateral de um relacionamento de várias décadas com a população de Odivelas
.
É relativamente fácil acompanharmos muito do progresso médico. As fontes de informação e de formação são acessíveis (desde que se pague) e a actualização é permanente.
Mas é imperioso fazer o trabalho de casa, conhecermos o que existe realmente de excelência na cidade de Odivelas e no concelho. Não basta afirmar em tempo de campanhas eleitorais que se corre em defesa do tecido produtivo que existe em casa para depois o ignorarmos por completo.
Inacreditável é que se trata de um dos mais antigos consultórios de diagnóstico de Odivelas que tem quase tantos anos quantos a urbanização da Quinta do Mendes:
- Falamos de um estudo que até há bem poucos dias continuava afixado na sala de espera daquela unidade;
- Falamos de uma instituição que em 2009 - aquando do dia Internacional da Osteoporose - realizou exames grátis a pacientes frequentemente afastados dos consultórios mas que são a população alvo, os idosos internados em lares, quando a ocorrência de uma fractura osteoporótica do colo do fémur pode significar a perda definitiva da autonomia;
- Falamos de alguém que durante muitos anos mediu massa óssea, diagnosticou osteoporose, esperando que as medidas terapêuticas tenham sido tomadas e que consequentemente se tenham evitado fracturas osteoporóticas da coluna e do fémur com consequentes deformações da coluna, dores e perda da mobilidade;
- Falamos de quem nos últimos dias de 2010 investiu na substituição do aparelho de densitometria pelo modelo mais recente do mercado, utilizado pela NASA em astronautas e pelos atletas de alta competição que militam nos melhores clubes do mundo do futebol, do râguebi (…) e de modalidades de ponta que se incluem nas Olimpíadas;
- Falamos de um dos raros consultórios no País que encontrou apoio oficial do fabricante para constituir um dos centros piloto portugueses de densitometria… que oxalá fique em Odivelas;
- Falamos ainda de quem depois de analisar os ossos pretende começar a analisar a "carne" (percentagens regionais de músculos e gordura) acompanhando essa nova área de investigação.
Qualquer iniciativa é sempre bem vinda, mas mais uma vez os autarcas responsáveis não se podem pôr em bicos dos pés, tão-só porque ignoram os bons que têm dentro de casa que infelizmente só encontram reconhecimento no exterior, entre os melhores do planeta. Na verdade Jorge Ferreira e a sua equipa de Odivelas estão na crista da onda nos métodos auxiliares de diagnóstico.

José Maria Pignatelli

A arte e a cultura

O comentário da subscritora Maria Isabel Gonçalves e que foi colocado em destaque no blog "Pensar Odivelas", merece algumas considerações. Diz que sempre foi de opinião que o mosteiro poderia acolher iniciativas culturais. Destaco duas - exposições e concertos. Aquele espaço tem grande nobreza e a arte e a cultura seriam valorizadas e valorizariam também o monumento.
Mas isso são opiniões de quem conhece a nossa história, a nossa cultura, reconhece os direitos dos seus concidadãos e os coloca à frente das conveniências. O mosteiro é uma lição de história. É uma fonte de arte. Mas não é conhecido nem das pessoas de Odivelas, quando deveria ser conhecido em todo o país. Amar aquela casa, não é fechá-la, escondê-la. Ninguém ama o que não conhece. Quem ama, valoriza o objecto do seu amor. Quem ama o seu país, quem ama a sua história, tem forçosamente de amar os portugueses. O amor é sempre em função das pessoas. Se assim não for, há aí um problema. O mosteiro merece ser conhecido, pela sua história e pela arte que acolhe. Os portugueses merecem conhecer o mosteiro, simplesmente porque são portugueses e aquele património é seu! Estar ocupado, é apenas um episódio, numa história com 700 anos.

17.2.11

senhora del mundo

Os Monumentos e o público

Julgo que é do conhecimento geral que no Mosteiro de S. Vicente de Fora está instalado o Patriarcado. Qualquer pessoa o pode visitar todos os dias, apesar disso. Vou lá algumas vezes fazer investigação nos arquivos. Foi assim que soube das festas religiosas em Odivelas.
No 1.º piso existe um bar a que todos temos acesso. Já me aconteceu estar lá e entrar o Sr. Cardeal Patriarca. Nunca ninguém se lembrou de impedir as visitas.
Se os monumentos têm ocupantes, isso não deve ser impedimento a visitas. As dificuldades resolvem-se, se houver vontade. O mais fácil nem sempre é a melhor solução, e raramente é a mais justa.

Odivelas : Mãos ao ar!

Tempestade: Estragos em Odivelas.

Paulo Aido - Pede remoção de Mario Máximo das Actividades Económicas.


Em conferencia de imprensa para apresentar o projecto de reedição da Odimostra, Paulo Aido, Vereador da C. Municipal de Odivelas, solicitou a remoção de Mário Máximo das Actividades Económicas.

As criticas e o número de pessoas a solicitar a Demissão deste Vereador continuam aumentar a cada dia que passa.

Petição: Noticias da noite passada.


Na noite passada houve mais duas novidades a registar nesta caminhada:

1º - o facto de termos ultrapassdo os 700 subscritores na Petição On-Line;
2º -o facto do Padre Arsénio e da Cristina Gabriel se terem associado à já longa lista de subscritores.



16.2.11

Regalias e direitos

Regalias são situações privilegiadas que nos foram concedidas por generosidade de alguém. Quando essas regalias se prolongam no tempo, habituamo-nos de tal forma, que as consideramos um direito, sem repararmos que há outras pessoas que não só não têm essas regalias, como, porque nós as temos, ficaram sem direitos por via disso. É uma dupla injustiça.
Tirar direitos de todos, para os dar como regalias a alguns, enquanto houver lógica, por mais que não se queira, há-de ser injustiça. Temos é de ser capazes de o reconhecer. O longo benefício de uma regalia, nunca se transformará num direito. E pior do que esta realidade é ainda por cima arrogarmo-nos o direito de recriminar quem se atreva a querer umas migalhas que caiam da nossa mesa.

isabel e mas maria

ay flores de verde pino.

Qual a diferença entre...


... não serve e tem que ser removido?


Expressões à parte, vai dar tudo ao mesmo. Pelo que vejo, ao fim de quase 90 dias, há cada vez mais pessoas a pensar como nós.


Dr. Paulo Aido, seja bem-vindo!!!

Auto-estima e sexo

O novo artigo do psicólogo clínico Mauro Paulino fala da auto-estima e do sexo. Mais um contributo numa área cada vez mais exigente em virtude da multiplicidade das questões em torno da psicologia e da sua crescente importância na sociedade.
À Luz da Psicologia
Muito se ouve falar em auto-estima e sexo, porém a falha é que nos esquecemos de relacionar cada uma destas noções para aumentar o nosso bem-estar.
De uma forma muito simples, a auto-estima é o grau em que cada pessoa se aprecia a si própria. E se esta apreciação for negativa irá retirar menos prazer (ou até mesmo desprazer) dos contactos sexuais realizados. Sentir-se pouco atraente, stressado(a), inseguro(a) e ansioso(a) contribui para uma baixa auto-estima.
É importante que pense sobre as imagens e as palavras que lhe surgem quando está a fazer sexo, pois estas afectam os níveis de prazer. Desde o primeiro beijo no infantário até à primeira vez que fez amor, a sua iniciação no mundo do sexo tem influência sobre todo o seu futuro sexual – transportamos memórias connosco!
Mas mais do que pensar é preciso agir para atingir a felicidade. E a auto-estima e a felicidade são influenciadas pela auto-aceitação. Dizer palavras bonitas e encorajadoras sobre o seu parceiro e sobre si direcciona-o(a) para a realização.
As educações deturpadas sobre a sexualidade, bem como as experiências negativas não nos impedem de ter relações sexuais na actualidade, mas podem condicionar fortemente o prazer retirado de cada toque. Explorar a nossa sexualidade é indispensável para a podermos viver.
Entregar-se de corpo e mente é essencial para o desfrutar de uma vida sexual saudável. A sua mente e saúde emocional estão directamente ligadas à sua libido. O sexo, tal como os sentimentos, são uma expressão do nosso corpo; são partes da mesma entidade – a Pessoa que cada um de nós é!
É fundamental os casais ultrapassarem as barreiras comunicacionais e exporem os seus medos, assim como, os seus desejos e fantasias. O sexo funciona como o termómetro da relação. A intimidade que o sexo proporciona ao casal é como o agrafo que junta dois papéis, de modo a que não se percam um no outro.
Todos nós precisamos de uma relação, pois ninguém é feliz sozinho. E nessa relação precisamos de admirar e sentir desejo pelo outro, mas também precisamos de sentir que o outro nos admira e deseja com a mesma intensidade.
Não se limite, não se agarre às desculpas convencionais que circulam pelos corredores. Pelo contrário, crie o seu espaço e caminho para o prazer – exceda-se a si mesmo(a).

Mauro Paulino - Psicólogo Clínico
www.mauropaulino.com

15.2.11

As duas únicas entradas no Largo D. Dinis

O largo que hoje tem o nome de D. Dinis, chamou-se Largo do Couto e entrava-se pela rua Direita, que ia do Memorial ao mosteiro. Hoje é um troço da rua Guilherme Gomes Fernandes e já se esqueceu o nome de rua Direita. Havia um portão e a entrada não era livre. Era de uso exclusivo da comunidade religiosa, visitantes e serviçais. Esta era a única entrada para o largo.

Hoje há uma segunda entrada, que é um túnel que existe na casa onde funciona a Casa dos Caracóis. Vai do Ajax ao largo. E não há mais entradas. Como apareceu esta segunda entrada? No mosteiro vivia a Madre Paula, a famosa freira que foi a " amada" do rei D. João V. O monarca construiu-lhe uma casa de dois andares, sobre a casa do capítulo, no claustro novo. Aconteceu porém, que chegando isto ao conhecimento do Papa, este proibiu o Rei de entrar no mosteiro.

"Se eu não posso entrar, pode a Paula sair", terá pensado o Rei. Mandou assim construir uma casa ligada ao mosteiro, com uma passagem no rés do chão. É o túnel que ainda lá está. A segunda casa de Madre Paula é a casa das colunas toscanas de cantaria, que sustentam a varanda.

O Rei vinha no seu coche, pela servidão que é hoje a Rua da Fonte e que passava entre as quintas do Espanhol e do Espírito Santo de um lado, e a cerca do mosteiro do outro. A carruagem e o cocheiro aguardavam o Rei, num pátio de que resta uma parte, em frente do Ajax.

São estas as memórias da Rua da Fonte, e que fazem parte das muitas memórias históricas de Odivelas. É por isso que é um erro inqualificável estar a construir um prédio de habitação na zona de protecção do Mosteiro de S. Dinis. Em vez de valorizar as memórias, estamos a apagá-las. Mas a História registará os factos. As imagens do antes, ajudarão a História. São os documentos que temos e é com documentos que se tece.

Tele-Assistência - Finalmente!!!


É preciso que aconteçam escândalos como este, o de se ter encontrado uma idosa morta em casa há 8 ou 9 anos, para que finalmente se comece a falar da tele-assistência.

Este, tal como outros que têm vindo nesta última semana a público, são apenas os casos de que temos conhecimento. Estou certo que há muito mais que não foram do conhecimento público e que para além disso, haja inúmeras pessoas que por estarem sozinhas e por não terem tido como pedir socorro em caso de SOS, tenham morrido ou ficado horas em enorme sofrimento, estateladas no chão de casa, ou no fundo de uma banheira, à espera que alguém entrasse em sua casa para as acudir.

Há seis anos, quando me candidatei em Famões, esta era uma das propostas, há dois anos sugeri a Hernâni Carvalho que colocasse esta medida no seu programa eleitoral e hoje começa-se finalmente a falar deste precioso instrumento.

Vamos ver se não é só para Inglês ver!

Odivelas: Apanhado meio milhão de Dólares falsos.

14.2.11

Vamos lá meninos, hoje é dia dos namorados.


A questão do Mosteiro.

Hoje no Diário de Odivelas, mais concretamente na Coluna do O, está um texto meu que aborda a questão do "Mosteiro de Odivelas".

Deixo aqui o link para quem o quiser ler.

Já agora,


São Valentim, (ou Valentinus em latim), é um santo reconhecido pela Igreja Católica e igrejas orientais que dá nome ao Dia dos Namorados em muitos países, onde celebram o Dia de São Valentim. O nome refere-se a pelo menos três santos martirizados na Roma antiga.

Durante o governo do imperador Cláudio II, este proibiu a realização de casamentos em seu reino, com o objectivo de formar um grande e poderoso exército. Cláudio acreditava que os jovens se não tivessem família, alistariam-se com maior facilidade. No entanto, um bispo romano continuou a celebrar casamentos, mesmo com a proibição do imperador. Seu nome era Valentim e as cerimónias eram realizadas em segredo. A prática foi descoberta e Valentim foi preso e condenado à morte. Enquanto estava preso, muitos jovens jogavam flores e bilhetes dizendo que os jovens ainda acreditavam no amor. Entre as pessoas que jogaram mensagens ao bispo estava uma jovem invisual, Asterias, filha do carcereiro a qual conseguiu a permissão do pai para visitar Valentim. Os dois acabaram apaixonando-se e milagrosamente a jovem recuperou a visão. O bispo chegou a escrever uma carta de amor para a jovem com a seguinte assinatura: “de seu Valentim”, expressão ainda hoje utilizada. Valentim foi decapitado em 14 de Fevereiro de 270.

In: Wikipédia.

Carta - Toranja



13.2.11

Petição Mosteiro de Odivelas: Noticia de última hora.



Ontem, ao final de uma semana, com mais de 500 subscritores na net e com cerca de 1.500 em "papel" chegámos aos 2.000, metade dos que são necessários para lançar o debate na Assembleia da República com objectivo de abrir o Mosteiro ao Público aos Sábados, Domingos e Feriados.

Faltam ainda 2000, caso não tenha subscrito, clique aqui e ....


Nota: Depois de subscrever a Petição tem que a validar na sua caixa de email.

O Mosteiro de Odivelas, a cerca e as vizinhanças (2)






Bora Bora


Tesouros do Mundo


A Polinesia Francesa situa-se no Oceano Pacífico sul. É constituida por 118 ilhas, entre as quais, o famoso destino Bora Bora.
Apetece mesmo dizer: " Bora lá !"

O Mosteiro de Odivelas, a cerca e as vizinhanças (1)

O Mosteiro é um edifício que tem agregada uma cerca, que era cultivada por agricultores assalariados. Os produtos agrícolas eram consumidos pelo pessoal de serviço e pelas alunas.

Hoje já não se cultiva a cerca, pelo menos na sua totalidade.

A parte que é monumento nacional não é ocupada pela escola que aqui funciona.

Nos fins de semana e feriados a escola está encerrada. Se for aberta ao público, para visitas, a parte histórica, não traz nenhum problema ao Instituto.

Quando abrir, deve garantir-se a protecção de edifício e de todos os bens culturais que lhe pertencem. Impedir a sua degradação deve ser uma obrigação de todos os que ali vierem a entrar.



12.2.11

Petição - Grande dia!


Para além de termos chegado aos 2000 subscritores ao fim da primeira semana, sobre o dia de hoje, faço minhas as palavras da Dr. Maria Máxima Vaz.

Obrigado a todos.

Definitivamente Sós

A Guarda Nacional Republicana lá se penitenciou e veio a terreiro aceitar que teve um comportamento menos humano no caso da octogenária que esteve quase nove anos em casa na condição de cadáver. O mesmo ainda não fez o tribunal de Sintra onde se deslocou um primo da falecida - por treze vezes - a reclamar o desaparecimento tão só porque era ele que fazia as compras semanais à prima. Talvez por isso o Procurador-geral da Republica, Pinto Monteiro, tenha mandado averiguar o que se passou.
As certezas são várias – ninguém levou a sério as sucessivas reclamações de uma vizinha e do primo que manifestaram desde cedo a estranheza do súbito desaparecimento de uma pessoa com idade avançada, dificuldade de mobilidade e com a caixa do correio a entulhar-se de correspondência, das reformas que não eram levantadas, das contas da luz, água e outras que deixaram de ser liquidadas.
Pelos vistos a Segurança Social, a EDP, os Serviços Municipalizados, os bancos não se surpreenderam, antes terão estado na base da penhora da casa, precisamente o que motivaria a descoberta do corpo.
Não deixa de ser curiosa esta forma administrativa de encerrar um caso de quem porventura terá pago todas as contas durante décadas a tempo e horas. Prova comprovada que não somos nem cidadãos, nem gente, apenas um número nas infindas bases de dados destas empresas que detêm o monopólio em algumas áreas de distribuição. Um estranho modo de tratar clientes e contribuintes. Esquivo jeito de lidar com os idosos.
Este episódio só nos deve deixar preocupados e envergonhados com o modo como tratamos os nossos mais velhos, muitos abandonados à sua sorte, a um final de vida duro adormecido numa definitiva solidão sem merecerem um pingo de gratidão por aquilo que deram à Nação e à comunidade.
Agora compete ao Estado fechar este caso com dignidade e circunspecção, ainda que se vivêssemos num País sério colocaríamos sobre a mesa a legalidade da venda da casa, o que foi feito aos euros das reformas que não foram reclamadas, à habilitação de herdeiros, o puxão de orelhas a dar obrigatoriamente a todos os intervenientes que nunca mexeram um dedo porque não cheirava mal por baixo da porta.
Deve este exemplo marcar a necessidade da prevenção e do voluntariado efectivo, no local apropriado com as acções ajustadas, tanto mais que se comemora o Ano Europeu do Voluntariado.

José Maria Pignatelli

Uma manhã plena

Quero deixar aqui a manifestação da minha alegria pelo acolhimento que as pessoas deram esta manhã, à petição para abertura do mosteiro de S. Dinis. Todos aqueles a quem me dirigi, assinaram e tiveram palavras de agrado e até reconhecimento, pela iniciativa. Encontrei velhos amigos de outras iniciativas, que assinaram e quiseram levar folhas de subscrição para também recolherem assinaturas. Sabia que a iniciativa ía ser bem acolhida, mas as reações ultrapassaram as minhas expectativas. Juntavam sempre uma palavra de estímulo e de agradecimento. E os velhos amigos, expressões de amizade que não irei esquecer.
Retribuo essa generosa AMIZADE a todos.

Três Presidentes de Junta de Freguesia já assinaram a Petição.

António Rodrigues, Armindo Fernandes e Francisco Bartolomeu.

Esperamos a todo o momento que os rstantes também a subscrevam.

11.2.11

Por hoje é tudo!


Amanhã, a partir das 9.30h. estarei em Odivelas a recolher assinaturas para a Petição. Um dos locais onde vou estar é na D.Dinis, junto ao Mercado.

Petição: Voluntários aceitam-se.


Como todos sabem está decorrer um Petição com o objectivo de abrir o Mosteiro de Odivelas ao público, aos Sábados, Domingos e feriados.

Nesse âmbito, para além de estarmos a angariar subscritores para esta causa via internet, também estamos a faze-lo no papel, assim agradeço a todos os que estejam dispostos a colaborar na recolha de assinaturas no "papel" me contactem (miguelxb@gmail.com) ou que apareçam amamahã entre as 9.30 e as 12.30 na Av. Dinis, junto ao Mercado/Espiga Dourada/Kilumba.

Obrigado.

Petição "Mosteiro de Odivelas": Notícias

Para ver as últimas notícias o melhor mesmo é clicar aqui.

10.2.11

As consequências.....

Quando se fazem reutilizações de locais anteriormente habitados ou de qualquer forma ocupados no passado, sem ser feita investigação primeiro, corre-se o risco do erro.
Bento de Jesus Caraça dizia que não temia o erro e dizia também porquê: "Estou sempre pronto a corrigí-lo!" Mas há erros difíceis de corrigir. Há até erros que não temos possibilidades de nos deixarem corrigir. Esses são os que custaram dinheiro.
Há dezenas de anos que está decidida a implosão de um edifício em Viana do Castelo e ainda lá está. E vai continuar a estar. E, a levar a cabo a implosão, quanto custará construir habitação para os residentes deste edifício? E, segundo creio, não é pela falta de qualidade do projecto: é pelo local onde se ergueu. Parece-me que deveríamos pensar nestes aspectos e noutros, quando tomamos decisões. Foi para decidir bem que delegamos o nosso poder. Quem se propõe aceitar o poder, deve reflectir nas suas capacidades, para não decidir obras que depois têm de ser implodidas.

Petição - Famões está presente!


António Rodrigues foi o primeiro Presidente de uma Junta de Freguesia do Concelho de Odivelas a assinar a "Petição Pública para a abertura ao público do Mosteiro de Odivelas".

Estamos certos que mais presidentes lhe seguirão o exemplo, este é um desígnio municipal.

Se ainda não subscreveu, clique aqui e ...

9.2.11

O segundo líder partidário a subscrever a Petição.


Depois de Paulo Portas (64º), Presidente do CDS-PP, agora foi a vez de Pedro Quartim Graça (424º), Presidente do MPT, a subscrever.

Cada vez somos mais, subscreva também.

Notícia de última hora:



Depois de já termos recolhido mais de 600 assinaturas na ruas de Odivelas e de ultrapassar os 400 subscritores na Petição On-line, já ultrapassámos a fasquia dos primeiros 1000 subscritores.

Mas,......... ainda faltam mais 3.000.


Continuemos!

Obrigado a todos!

8.2.11

Pode haver luz (1).


O Divórcio.

Decorreu há poucos dias mais um acto eleitoral, desta vez para eleger o mais alto representante do Estado, o Presidente da República.

Os resultados já todos conhecemos, para além disso também já foram suficientemente esmiuçados pelos melhores especialistas da nação. Todos tiraram várias ilações, mas há uma, vá lá saber-se porquê, pelo menos que eu tenha dado conta, que ninguém tirou, a qual será por ventura a mais importante e sobre a qual é urgente que se faça uma profunda reflexão.

Independentemente da vitória incontestável de Cavaco Silva, de ele ser entre os candidatos que se apresentaram, a escolha mais ponderada, a grande verdade, é que nestas eleições há um enorme derrotado do qual ainda ninguém falou (vá lá saber-se porquê) - a generalidade da classe politica.

Vejamos:
1)
Não votaram 5.164.175 eleitores (53,4%).
2) Pessoas que se deram ao trabalho de ir votar e que o fizeram em branco ou que anularam o boletim, foram 286.864 (191.283 brancos e 85.581 nulos).
3) Fernando Nobre, José Coelho e Defensor de Moura tiveram juntos 849.271. Estes votos, quanto a mim, não estando em causa a validade e as razões porque cada um optou por eles, também os considero de certa forma, ou totalmente, como votos de protesto contra a classe politica. Nenhum destes candidatos foi apoiado por partidos.

Estes 3 pontos reflectem claramente que 6.300.310, dos 9.652.472 eleitores, o que equivale a dizer que 65% dos eleitores, não aceitaram ir votar e/ou não aceitaram votar nos candidatos tidos como políticos e apoiados pelas máquinas partidárias (Cavaco, Alegre e Lopes). Estes três candidatos juntos só tiveram 35% dos eleitores a votar neles.

Os números apresentados são avassaladores, apontam-nos para existência de um divórcio claro entre os eleitores e a classe politica. Perante este facto e sabendo do perigo que ele pode representar para o estado democrático, só nos resta uma solução, reflectir com seriedade e alterar radicalmente os comportamentos.

A política só pode ser encarada com espírito missionário, deixando para trás interesses, pessoais e/ou corporativos, e colocando sempre em primeiro lugar os superiores interesses das pessoas e da comunidade pela qual somos eleitos.

In: Nova Odivelas - 4/2/2011 - Pode haver luz.

Petição - últimas noticias.


Decorreu hoje nas ruas de Odivelas mais uma recolha de assinaturas para a Petição "pela a abertura ao público do Mosteiro de Odivelas", neste momento já temos mais de 500 assinaturas no papel e na net, estamos a chegar à 400.

Estamos no bom caminho, mas não chega. Se ainda não subscreveu faça-o agora, basta clicar aqui.

Será que a greve do SMAS ainda continua?


Informalidades - Amanhã estarei na Malaposta.




Pode haver luz.

Este é o nome de uma coluna mensal que me foi concedido no Nova Odivelas. Espero conseguir corresponder às expectativas de quem me convidou, contribuir para uma reflexão e colaborar no sentido de encontrar soluções.

O primeiro texto, "O Divorcio", já o pode ler aqui, no site do Nova Odivelas, na página 6.

7.2.11

Nomes de peso

Entre os muitos nomes de gente da cultura encontrei um de registar - Maria José Pimenta Ferro Tavares. Esta senhora era professora na Universidade Clássica quando eu fui lá aluna. Transitou posteriormente para a Universidade Nova e foi a 1.ª Reitora da Universidade Aberta.
Era especialista em Idade Média e uma das pessoas que mais sabe sobre moeda medieval.
É muito significativa esta assinatura. É pessoa conhecedora e dá-nos credibilidade.

Petição "Mosteiro de Odivelas".


Hoje foi mais um dia importante na luta pela a abertura ao público do Mosteiro de Odivelas. Na net estamos quase a chegar aos 300 subscritores e hoje em Odivelas conseguimos obter mais 200.

Destaca-se também o facto de várias figuras públicas já terem aderido a esta causa, Hernâni Carvalho, Paulo Aido, Vítor Peixoto, Maria Máxima Vaz, João Curvêlo, Duarte Barracas, Paulo Portas, Carlos Carreiras, Mota Soares, são alguns exemplos.

Para ver a ultimas novidades pode fazê-lo aqui (sempre em actualização) e para subscrever a Petição é aqui.

A legalidade da ilegalidade: pontos nos ii.

Uma leitura legítima – o espírito da lei.
Para que todos conheçam a lei que protege o nosso mosteiro.


O que me leva a escrever este artigo é, ainda, o facto de continuarem as obras na zona de protecção do monumento nacional de S. Dinis e S. Bernardo, em Odivelas. Qualquer cidadão, bem intencionado, admitirá que a lei tem o objectivo de defender os monumentos. Se não fosse para proteger de ambições, de agressões ou da ignorância, não seria necessário legislar sobre esta matéria. Isto é lógico e cristalino. Mas não para todos. Se assim fosse, não leriam um pormenor sem justificação, face aos reais objectivos e ao espírito da lei.

Vejamos os artigos e pontos da Lei de Bases do património que realmente o protegem.

A Lei 107/2001 de 8 de Setembro:
Artigo 40, ponto 1 – “Os órgãos competentes da administração do património cultural têm de ser previamente informados dos planos, programas, obras e projectos, tanto públicos como privados, que possam implicar risco de destruição ou deterioração de bens culturais ou de algum modo os possam desvalorizar”.

Bem, parece-me que aquela construção implica” deterioração” e “desvalorização” do “bem cultural” que é o mosteiro e, inclusive, do povoado histórico.

Passemos ao Artigo 43:
Ponto 1 – “Os bens imóveis classificados (…), beneficiarão automaticamente de uma zona geral de protecção de 50 (cinquenta metros), contados a partir dos seus limites externos, cujo regime é fixado por lei.

Ponto 2 - …”devem dispor ainda de uma zona especial de protecção…”

Que dizer a estes artigos? O prédio que está a ser construído fica dentro, e muito dentro, desta zona de 50 metros. Será que o legislador não sabia aritmética, e confundiu 50m com 50 decímetros ou com 50 centímetros? Será que quem deu parecer favorável está, com boa intenção, a corrigir o legislador?!

Avancemos para o ponto 4 – “As zonas de protecção são servidões administrativas, nas quais não podem ser concedidas pelo município, nem por outra entidade, licenças para obras de construção e para quaisquer trabalhos que alterem a topografia, os alinhamentos e as cérceas e, em geral, a distribuição de volumes e coberturas ou o revestimento exterior dos edifícios, (sem prévio parecer favorável da administração do património cultural competente.)

Alguém terá dúvidas quanto aos objectivos deste ponto da lei? Alguém entenderá que a frase mais importante deste ponto é a parte que eu coloquei entre parêntesis? Se o legislador estivesse bem consciente do “xicoespertismo” que abunda entre nós, nunca teria acrescentado aquela frase, que vem permitir os maiores atropelos à lei e anular o seu espírito, que é defender os monumentos. E não só o espírito desta lei, até anula o que está dito antes.

Que garantia temos nós, da competência e seriedade de quem deu parecer favorável à construção? Será que veio ao local, que procurou conhecer as memórias do sítio? Não me parece. Que nada sabia das memórias daquela entrada no Largo D. Dinis, tenho a certeza absoluta.

Pois foi apenas a esta infeliz frase que a Câmara deu importância.

Continuemos a analisar a lei.

Artigo 44, ponto1 – “A lei definirá outras formas para assegurar que o património cultural imóvel se torne elemento potenciador da coerência dos monumentos, conjuntos e sítios que o integram, e da qualidade ambiental e paisagística.”

Será que o prédio que venho contestando é que vem dar cumprimento a este ponto da lei?
Nisto não atentou quem deu parecer favorável, nem quem passou licença de construção. Este ponto não é invocado pela Câmara. Continua a insistir naquela infeliz e descuidada frase do final do artigo 43, ponto 4. E com isso, assassina-se a lei. Não é legítimo.

Passemos ao ponto 2, ainda do artigo 44 – “… o Estado, … e as autarquias locais promoverão … a adopção de providências tendentes a recuperar e valorizar zonas, centros históricos e outros conjuntos urbanos, … paisagens, parques, jardins e outros elementos naturais, arquitectónicos integrados na paisagem.

Parece-me que também não é neste ponto que se pode buscar legitimidade. Pelo contrário, dificulta, mostra que a razão não está do lado do lamentável parecer, e em consequência, não cobre a atitude da Câmara. Apenas deixa de ser ilegal, o que na realidade é “ilegal”. Mas a isso não ligou o poder. O poder só leu uma frase, que é um “postigo” por onde entra sempre o erro.

Sim, porque o que é legítimo e legal, entra pela porta grande. Mas foi por uma fresta que deram o golpe mortal a toda a lei. É só esse descuido, que permite dizer que é legal o que, segundo a totalidade do texto, devia ser ilegal. Mas, por mais voltas que dêem, nunca farão desta barbaridade, senão o que é: um produto da barbárie que caracteriza os povos subdesenvolvidos. E a barbárie acha que pode tudo.

Quem poderá esquecer a destruição do museu do Iraque?

Nunca estarei desse lado!


Maria Máxima Vaz

Carlos Carreiras assina Petição

Carlos Carreiras, líder da Distrital de Lisboa do PSD e presidente da Câmara de Cascais, já assinou a Petição para a Abertura ao Público do Mosteiro de Odivelas.
Este líder do Partido Social Democrata, também ele presidente do Instituto Sá Carneiro, é mais uma figura de prestigio a juntar-se a centenas de cidadãos comuns, independentes, militantes e simpatizantes de outros partidos, todos juntos por uma causa: abrir as portas ao público de um monumento nacional e uma das obras raras do gótico, dando a Odivelas a importância que merece na área metropolitana de Lisboa e no País, ajudando a promover as actividades sociais, culturais e económicas do concelho.

Ajude-nos também neste desígnio e se concordar, subscreva a petição.

http://www.peticaopublica.com/PeticaoVer.aspx?pi=DomDinis

Arriscam-se pessoas e bens em nome da sua defesa

A prepotência de quem manda demonstra-se de várias formas. Muitas vezes com grandes aparatos com maiores ou menores resultados práticos.
Por vezes garantir a segurança de pessoas e bens e a ordem pública merecem iniciativas pouco simpáticas para o comum dos cidadãos sobretudo para os cumpridores das regras instituídas. E em muitos casos arriscam-se as vidas e os bens em nome da Lei.
As autoridades devem ponderar sobre as consequências das operações de fiscalização que organizam.
Não é crível que num País que se intitula civilizado se façam auto stop por via de cortes da circulação em plena auto-estrada e num período nocturno com crescente diminuição da visibilidade por aumento da humidade. Nem sequer vou discutir a base legal que suporta estas iniciativas, antes preocupar-me com a injustiça do condicionamento de um serviço pago pelos utilizadores. Tal qual sucede com as obras e cortes de via.
Por outro lado, continuamos em alta em matéria de sorte – na operação da madrugada de Domingo na A2 não ocorreram quaisquer acidentes na cauda da coluna que se formou nas faixas de rodagem quando o trânsito foi forçado a passar todo por dentro de uma zona de reabastecimento.
Também aqui poderíamos equacionar a relação entre a concessionária do abastecimento de combustíveis e a GNR que permite estas operações de certa forma desproporcionadas e reveladoras da falta de meios e de recursos humanos que as permitam fazer junto dos locais de diversão nocturna ou suas acessibilidades, esses sim os locais apropriados para estes actos de fiscalização... e que não colocam pessoas e bens em risco em nome da sua defesa.
A Administração Interna do País está mal dirigida!

6.2.11

Odivelas virou lixeira!

Enquanto andava a recolher assinaturas para a Petição, passei por inúmeras ruas da cidade de Odivelas, as quais, por causa de greve do lixo estavam imundas. Areve do SMAS fez de Odivelas uma enorme lixeira.

Passam os anos e a questão do SMAS continua por resolver.





A prepotência tem os dias contados

Hoje, todos estão de acordo que o poder é do povo, mas como o povo, na sua totalidade, não o pode exercer, delega esse mesmo poder nos seus representantes, para que o exerçam em seu nome e respeitando os direitos e os interesses dos cidadãos.
Bem sei que há gente tão atrasada na política, que ainda julga que foi Deus que lhe deu o poder. Lembro-lhe que isso acabou há mais de um século na Europa. Por isso, agora, os políticos são servidores do povo, não são dominadores. Quando se esquecem disto e o povo, acha que abusam, arranja forma de lho dizer. Estão aí os exemplos recentes e actuais da Tunísia e do Egípto. E há sinais de outros povos virem a levantar a sua voz. Gostaria que o povo não cometesse excessos, mas que alcançasse os seus objectivos. Os governantes que não governam respeitando todos os direitos dos cidadãos, são tudo menos representantes do povo e não são dignos do poder. Pois lembrem-se que têm os dias contados. Hoje há armas eficazes e rápidas - a internet, os tefones móveis, com muitas potencialidades. As informações voam à velocidade da luz e é possível chamar a reunir num curto espaço de tempo. Nenhuma nação admitiria hoje que um governante dissesse: "O Estado sou eu!". Pois, mas há muitos que ainda assim pensam!!

5.2.11

Odivelas - Batemos à porta do Mosteiro.


Hoje começamos a recolher assinaturas para que Mosteiro de Odivelas tenha as suas portas abertas ao público aos Sábados, Domingos e Feriados.

O gesto desta fotografia diz tudo, eu, o Verador Paulo Aido, a Historiadora Mª Máxima Vaz e a Madalena Varela tentámos entrar no Mosteiro esta manhã, mas ninguém abriu a porta. E o que queremos, o que Odivelas quere precisa, é que esta porta se abra.

Clique aqui, subscreva a petição e ajude-nos a abrir esta porta.

Petição - No bom caminho!


Coma apenas um dia de divulgação e apenas pela net, já foi possível ultrapassar largamente os 100 subscritores, entre elas estão vária figuras bem conhecidas, não só de Odivelas, como da generalidade do país.

Parece-me que estamos no bom caminho!

4.2.11

Paulo Portas apoia abertura do Mosteiro

Apoiantes do projecto “Pensar Odivelas” e outros cidadãos mais ou menos intervenientes na sociedade civil estão a promover uma Petição para a Abertura ao Público do Mosteiro de Odivelas. Paulo Portas, presidente do CDS e ex-ministro da Defesa, Ministério do qual depende este monumento, foi um dos primeiros signatários (64º).
Esta ideia de promover a Petição – um caminho mais difícil do que suscitar a qualquer um deputado da Assembleia da República que o fizesse – demonstra a paixão por Odivelas de um grupo de cidadãos de onde se destaca Miguel Xara Brasil do CDS-PP, os jornalistas, escritores e vereadores independentes Paulo Aido e Hernâni Carvalho, Frederico Avillez, Tiago Sousa Dias, Pedro Santa-Rita, Paulo Bernardo e Sousa (o centésimo a subscrever a petição), Vítor Peixoto e muitos outros cidadãos independentes, militantes e simpatizantes de outros partidos, de todo o País que estão juntos por uma causa: abrir as portas de um monumento nacional a público e dar a Odivelas a importância que merece na área metropolitana de Lisboa e fora dela, ajudando a promover as actividades sociais, culturais e económicas do concelho.
Ajude-nos também neste desígnio,
clique aqui e se concordar, subscreva a petição.

Mosteiro de Odivelas - Um Desígnio Municipal

Juntamente com todos os que me têm acompanhado no Grupo do Pensar Odivelas dedicado ao Comércio Local, iniciámos oficialmente amanhã mais uma etapa do nosso trabalho.

Porque entendemos que Mosteiro de S.Dinis e S.Bernardo, mais conhecido por Mosteiro de Odivelas, o qual é classificado como Património Nacional, não pode continuar a proibir o acesso a toda a população do Concelho e a todos os que nos visitam, como se fosse um bunker no meio da Cidade, resolvemos promover uma Petição Pública para a sua abertura ao público.

Têm sido mais uns dias de trabalho árduo a preparar esta iniciativa, mas pelas quantidade de reacções positivas que temos recebido, provenientes das mais variadas pessoas, fica comprovado o que nós sempre entendemos, esta é uma questão transversal e um verdadeiro Desígnio Municipal.

Para que esta Petição possa ter eficácia, são necessárias 4.000 assinaturas. Assim, agradeço a todos os que lerem este post que ajudem Odivelas, assinem a Petição e a reencaminhem para os seu contactos.

Clique aqui e já está lá!

Obrigado.

Paulo Aido apela à participação e à subscrição.


Paulo Aido Vereador na C.M. de Odivelas solicitou-me que colocasse aqui a seguinte mensagem:

"Amanhã pelas 10h30, à porta do Mosteiro de S. Dinis e S. Bernardo, no Largo D. Dinis em Odivelas será apresentada publicamente a petição dirigida à Assembleia da República a favor da abertura das portas do Mosteiro, património nacional e onde se encontra o túmulo de D. Dinis, aos sábados, Domingo e feriados.

Vamos devolver o Mosteiro de Odivelas, idealizado por El-Rei Dom Dinis - uma das maiores obras da arquitectura gótica em Portugal – à população do concelho e a todos os portugueses?
Vamos assinar esta petição, vamos fazer deste gesto a prova de que a democracia não se cumpre apenas de 4 em 4 anos, nas eleições.
Pode ser a todo o momento, por todas as razões. E esta vale mesmo a pena!
Assine!

Obrigado por este gesto. Esta é uma oportunidade para mostrarmos que o nosso voto e a nossa vontade, contam. Basta assinar. Eu estou nesta campanha, como estou noutras, como vereador independente na Câmara Municipal de Odivelas, em prol de um concelho melhor, mais culto, mais solidário, mais justo. Um concelho com mais oportunidades!"


Para assinar, clique aqui.

Hernâni Carvalho levou amigos ao "As Quintas do Jaime"

Hernâni Carvalho foi o convidado do programa “As Quintas do Jaime” da Odivelas TV. Nesta edição coordenada por Jaime Ferreira de Carvalho, o jornalista e Vereador da Câmara Municipal de Odivelas teve a companhia dos amigos Paulo Aido, também ele jornalista, escritor e Vereador da Câmara de Odivelas, Nuno Patrício um editor de imagem que acompanhou Hernâni Carvalho em teatros de guerra, Sérgio Gonçalves, um bombeiro profissional que foi sempre amigo do convidado desde a sua infância, Vítor Peixoto e o Prof. Quintino Aires. Intervieram no programa por meio de entrevista à distância Carlos Carreiras o actual presidente da Câmara de Cascais e presidente do Instituto Sá Carneiro.
Os momentos musicais estiveram a cargo de Fernando Simões foi o responsável pelos momentos musicais.

Localização no filme – Sergio Gonçalves: 28’20” Nuno Patrício: 46’25” Vitor Peixoto: 1h 14’20” Paulo Aido: 1h 23’55” Prof Quintino Aires: 1h50’10”
Vale a pena ver a sequência de entrevistas - basta ver o link abaixo.

3.2.11

Desportivamente falando, a imagem do dia foi:


"O Muro de Berlim em Odivelas"


Este é o nome do post que Armando Ramalho colocou ontem no seu blogue, O VITELO - Tomás D`Anunciação em Odivelas, no qual mais uma vez aborda a questão do SMAS de Loures e não só.

16 milhões devolvidos ao BPN

O BPN recebeu 16 milhões de euros de Carlos Marques, o principal arguido de um dos processos relacionados com aquela instituição bancária.
O dinheiro que foi devolvido ao BPN encontrava-se depositado em contas na Suíça para onde foi transferido numa operação realizada através do Banco Espírito Santo (BES).
Estes 16 milhões de euros são parte de um total que ultrapassa os 90 milhões que o empresário Carlos Marques terá recebido do BPN através de financiamento fraudulento.
Este dinheiro emprestado pelo BPN serviu para a aquisição de terrenos em Angola que foram vendidos.
Além deste caso, o BES foi também referenciado no “Caso Portucale” ontem no tribunal em Lisboa.
Este sinal de colaboração de Carlos Marques com a Justiça encontra-se na base do Juiz de Instrução passar a medida de coação de prisão preventiva para prisão domiciliária.

José Maria Pignatelli

Egipto a "ferro e fogo"



2.2.11

Parabéns ao Reino do Odivelix!


O Reino do Odivelix, nosso estimado vizinho e cuja a autora é minha colega aqui nesta “casa”, completa hoje o seu primeiro aniversário.

Este foi um espaço que me habituei a visitar e foi também através dele que conheci a Madalena Varela. A Madalena é uma pessoa pela qual, ao longo longo dos tempos, não só pelas suas ideias, como pelo empenho que coloca em todo o que faz e pela sua frontalidade, comecei a admirar e com quem tenho vindo a sedimentar uma boa amizade.

Nem que tivesse sido só por isso, não o é, para mim, O Reino do Odivelix já valeu.

Parabéns!!!

A Saúde


Periodicamente vamos trazer a este espaço artigos do psicólogo clínico Mauro Paulino como um contributo numa área cada vez mais exigente em virtude da multiplicidade das questões em torno da psicologia e da sua crescente importância na sociedade.

À Luz da Psicologia
Nos dias que correm a saúde é ainda para muitos vista apenas como respeitante à saúde física. Porém, a ideia de saúde é muito mais do que saúde física. Se pensarmos e olharmos bem à nossa volta vamos ver que é bem possível, e bastante comum, que uma pessoa esteja livre de doenças, mas não desfrute de uma vida satisfatória, na medida em que a saúde não se limita ao bem-estar físico.
A Organização Mundial de Saúde definiu saúde como um estado de completo bem-estar físico, social e mental, ou seja, composta por três domínios: saúde física, saúde social e saúde psicológica.
De forma resumida, a saúde física diz respeito a um corpo livre de doenças, com um bom estado cardiovascular e com capacidade de resistir a ferimentos físicos.
A saúde social envolve relacionamentos significativos com amigos e família tirando partido de apoio social.
A saúde psicológica significa ser capaz de pensar de forma clara e ter uma boa auto-estima, bem como, capacidade de resolução de problemas e estabilidade emocional. Esta perspectiva da saúde tem sido em muitos momentos esquecida e desvalorizada.
Os três domínios referidos estão relacionados entre si. Por exemplo, uma pessoa emocionalmente estável, que tem capacidade de resolução de problemas (saúde psicológica), terá mais facilidade em construiò e manter relacionamentos sociais saudáveis (saúde social) do qõe uma pessoa depressiva.
É necessário cada vez mais ter em mente que o bem-estar é afectado pelo que você pensa, sente e faz. E a questão que se coloca é o que você está a fazer para promover a sua saúde psicológica, visto que esta exerce uma grande influência nos outros domínios? Na minha opinião pouco ou nada se tem feito ou sensibilizado para tal. Ora vejamos alguns exemplos: número crescente de pessoas a desenvolverem comportamentos aditivos (álcool, drogas, jogo) como fuga às dificuldades, o consumo e os lucros dos laboratórios de anti-depressivos aumentam de forma abismal, casais partilham o espaço de habitação mas não vidas, o sono só vem com comprimidos, as vinculações funcionais diminuem, e enquanto isso a vida foge por entre os dedos.
Em jeito de piada e comparação se a saúde psicológica fosse visível através dos dentes iria ver diariamente muitos sorrisos estragados e feios… que precisam ser tratados!

Mauro Paulino

Psicólogo Clínico
www.mauropaulino.com